Destaque

Programação de Julho


PROGRAMAÇÃO JULHO

2 de julho – Terça-feira

Sobre nós

Fotos: Tom Peres e Gabriella Scott

O projeto “Novas Caras” segue nos palcos do Centro Municipal de Cultura com o espetáculo “Sobre nós” na Sala Álvaro Moreyra em quatro as terças-feiras do mês de Julho (02, 09, 16, 23) sempre às 20 horas. Os ingressos custam R$ 30 inteira e R$15 a meia-entrada, podendo ser adquiridos na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Partindo de “A Gaivota”, “As Três Irmãs” e “O Jardim das Cerejeiras” a peça “SOBRE NÓS”, apresenta um paralelo dos clássicos de Tchekhov com a vida cotidiana. A trama acontece através de um conjunto de fragmentos que se encaixam dando uma possibilidade contemporânea de leitura sobre quais são as que questões que te afetam hoje.

Ficha Técnica:

Direção: Leo Maciel
Direção de movimento: Angela Spiazzi
Produção: Jaques Machado
Design de luz: Ricardo Vivian e Luciana Tondo
Técnica de som: Manu Goulart
Figurinos, Maquiagem/Cabelos: Valquiria Cardoso
Elenco: Aline Armani, Felipe Evangelista, Guilherme Fraga, Jaques Machado, Juliana Sixel, Lincoln Speziali e Natalia Lavratti.

Sobre nós
Em quatro terças do mês de julho (02, 09, 16, 23) às 20 horas
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada
Classificação Etária: 12 anos
Duração: 75 minutos

04 de junho

O Gato de botas e bombachas

A programação infantil acontece com o espetáculo “O Gato de botas e bombachas” no Teatro Renascença as sextas-feiras às 15h, sábados e domingos às 16h (de 06 até 21). Os ingressos custam R$50 inteira e R$25 meia-entrada, podendo ser adquiridos na bilheteria do local uma hora antes do evento.

“O Gato de Botas e Bombachas” é uma comédia musical em que três irmãos recebem suas partes na herança, ficando o filho mais moço apenas com um gato muito esperto. O gato é enfeitiçado por Bóris e começa a falar. A partir daí ele provoca vários quiproquós desvendando roubos de gado que acontece na fazenda do Coronel. Entre trapalhadas, o gato consegue resolver toda a tramoia e ainda o seu dono casa com a filha do poderoso fazendeiro Pedro Caetano

Ficha Técnica:

Elenco: Dejayr Ferreira, Fabrizio Gorziza, Luciano Pieper, Rodrigo Waschburguer, Tom Peres
Direção: Airton de Oliveira
Texto: Charles Ferreira
Direção Musical e Trilha Sonora: Arthur Barbosa
Figurino: Claudio Benevenga
Cenário: Marcos Buffon
Iluminação: Nara Lúcia Maia
Coreografia e Preparação Corporal: Sayonara Sosa
Preparador Vocal: Márcio Buzatto

O Gato de botas e bombacha
Teatro Renascença
Sextas-feiras (às 15h), sábados e domingos (às 16h) do mês de julho.
Ingressos: R$30 Inteira, R$15 Meia-entrada
Duração: 50 minutos
Classificação Etária: Livre

05 de julho

Os palhaços de Tchekhov

Os palhaços – Camila Cunha

O espetáculo “Os palhaços de Tchekhov” acontece no Teatro Renascença nas sextas-feiras, sábados e domingos (05 até 21) às 20h30. Os ingressos custam R$60 inteira e R$30 meia-entrada.

Vassili Smirnov, velho ator após sua apresentação de despedida dos palcos, brinda com seus admiradores. Todos vão embora, embriagado, ele dorme no palco. Quando acorda encontra Mikhail Usov, o ponto, e Natacha Semínova, a camareira. Juntos relembram os momentos de glória, representando algumas farsas do dramaturgo russo Anton Tchékhov.

Ficha técnica:
Direção e Texto: Dilmar Messias
Elenco: Débora Rodrigues, Diego Steffani, Tuta Camargo.
Cenografia e Figurino: Diego Steffani
Iluminação e Sonoplastia: Anderson Balieiro
Produção: Girassol Produções Artísticas e Culturais

Os palhaços de Tchekhov
Sextas-feiras, Sábados e Domingos (De 05 até 21) às 20h30
Teatro Renascença
Ingresso: R$50 inteira e R$25 meia-entrada na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 12 anos
Duração: 65 minutos

Sedimentos

Foto: Adriana Marchiori

A Sala Álvaro Moreyra recebe o espetáculo “Sedimentos” na quinta, sexta, sábado e domingo (11 a 14 de julho) às 20h. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos na bilheteria do local uma hora antes do evento.

É impressionante o que as pessoas fazem para fugir da realidade. Talvez seja por isso que procuramos a distração em espetáculos? Talvez seja por isso que sonhamos? Não, sonhos são estranhos e estúpidos. Não é bom pensar sobre eles durante muito tempo.

Entre um espetáculo e outro, Aileen e Heike aguardam a chegada de mais alguém. Será que dessa vez ele virá? O que é preciso fazer para que ele venha?

Ficha Técnica:
Direção e dramaturgia: Julia Kieling
Elenco: Julia Kieling e Pedro Schilling
Sonoplastia: Claudia Carvalho
Concepção de luz: Vinicius Lopes
Operação de luz: Fabiana Santos
Edição e operação de vídeo: Julio Estevan
Figurinos: Naray Schaeffer
Arte Gráfica: Dener Amaze
Direção de Produção e Divulgação: Rodrigo Marquez
Produção Executiva: Palco Aberto Produtora
Idealização: Fernanda Viale e Julia Kieling

Sedimentos
Teatro Renascença
Quinta, sexta, sábado e domingo (11 a 14 de julho) às 20h
Ingresso: R$40 inteira e R$20 meia-entrada na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 14 anos
Duração: 58 minutos

Para que servem as coisas?

Foto: Patrick Tedesco

O Espetáculo infantil “Para que servem as coisas?” acontece na Sala Álvaro Moreyra sexta, sábado e domingo (12 a 14 de julho) às 16h. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Menino sofre pequeno acidente nas primeiras tentativas em andar de bicicleta sem as rodinhas de trás e sua mãe decide vendê-la para uma loja de consertos gerais. Inconsolado, o garoto visita a loja e descobre que os objetos que esperam conserto têm vida e, na verdade, não estão estragados – apenas querem mudar de função. Decidido a reaver sua amiga de aventuras, ele passa a ajudar os diversos objetos a realizar seus sonhos.

Ficha técnica:


Direção geral e cênica, dramaturgia e produção executiva: Tainah Dadda
Direção geral, dramaturgia, animações e projeções mapeadas e produção executiva: Thais Fernandes
Atuação: Eduardo Dávila
Cenografia: Luísa Copetti
Figurino: Daniel Lion
Trilha sonora:Carina Levitan

Para que servem as coisas?
Sala Álvaro Moreyra
Sexta, sábado e domingo (12 a 14 de julho) às 16h
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: livre
Duração: 45 minutos

Meierhold

Foto: Pedro Isaias Lucas

A Sala Álvaro Moreyra recebe a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz para cinco apresentações do espetáculo “Meierhold” de quinta (18) a domingo (21) sempre às 20 horas. A entrada é franca.

A encenação de “Meierhold” reflete sobre o seu discurso artístico e os relaciona com momentos dramáticos de sua trajetória pessoal, envolvendo o público em uma discussão sobre o próprio papel da arte e a função do artista. Com uma postura artística, política e social contestadora, de personalidade ruidosa e irrequieta, e com ideias inovadoras sobre a encenação, Meierhold, costumava causar alvoroço no meio teatral, arrancando, aqui e ali, tanto elogios inflamados, quanto críticas ferozes. Seu trabalho se manteve em evidência na cena russa por cerca de três décadas ininterruptas, sempre permeado por uma liberdade de criação irrefutável; só em meados da década de 1930 é que sua produção foi interrompida, em função de crises de ordem política que culminaram na sua prisão, em 1939.

Ficha técnica:         

Adaptação do texto: Eduardo Pavlovsk
Em cena os atuadores: Paulo Flores (Meierhold) e Keter Velho (Zinaida, Xamã, Molotov e Imagem da Repressão).
Preparação de atores: Beatriz Britto
Musica original: de Johann Alex de Souza
Cenografia: Eugenio Barboza e Clélio Cardoso (Adaptação do dispositivo cênico criado por Liubóv Popóva para “O Corno Magnífico” dirigido por Meierhold em 1922.)
Figurinos: Keter Velho
Produção audiovisual: Eugenio Barboza
Iluminação: Clélio Cardoso
Contra-regragem: Leticia Virtuoso

Meierhold
Sala Álvaro Moreyra
Quinta (18) a domingo (21) sempre às 20 horas
Entrada Franca
Classificação Etária: 14 anos
Duração: 90 minutos

Destaque

Programação de Junho


31 de maio – Sábado

O paradoxo da queda

Foto – Amanda Gatti

A noite do circo chega aos palcos do Centro Municipal de Cultura com o espetáculo “O paradoxo da Queda” no Teatro Renascença nesta sexta (31), sábado (01) e domingo (02), às 20 horas. Os ingressos custam R$ 20 inteira e R$10 a meia-entrada, podendo ser adquiridos na bilheteria do local uma hora antes do evento.

O que fazemos após uma queda? O “Paradoxo da Queda” é um espetáculo solo de Teatro Físico que integra as linguagens das Artes Cênicas – Teatro, Dança e Circo – em um elogio à queda. E como transformamos em um impulso de resistência. Entre quedas e saltos, em metáfora com a roda da vida, reflete sobre o simples existir do ser humano em seu constante movimento. Em uma proposta inédita nos palcos do Rio Grande do Sul, traz afigura figura do trampolim acrobático como norteador da poética de composição de eletrizantes cenas em diálogo com o mundo contemporâneo.

Ficha Técnica:
Interpretação: Guilherme Conrad
Cenografia: Reynaldo Neto
Iluminação: Lucca Simas
Operação de Som: Vicente Vargas
Figurino: Victória Capaverde

O paradoxo da queda
Sexta (31), sábado (01), domingo (02) às 20 horas
Ingresso: R$20 inteira e R$10 meia-entrada
Classificação Etária: 16 anos
Duração: 45 minutos

04 de junho

O polvo

Foto – Victoria Sanguiné

Dando continuidade ao Projeto Novas Caras a Sala Álvaro Moreyra recebe o espetáculo “O polvo”. As apresentações acontecem toda terça-feira do mês de maio às 20 horas. Os ingressos custam R$30 e R$15 a meia-entrada, podendo ser comprados uma hora antes da apresentação na bilheteria do Centro Municipal de Cultura.

O Polvo surgiu no curso de Teatro: Licenciatura da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), com direção e dramaturgia original de Marcelo Ádams. O espetáculo teatral do Coletivo Po(l)vo do Teatro configura-se em oito cenas-tentáculos que, por meio de temas urgentes na contemporaneidade, expõe os subterrâneos das relações humanas que integram nosso mundo. O texto, inédito e escrito para o grupo, aborda feminicídio, abuso sexual de crianças, incesto e eutanásia, em cenas curtas e intensas realizadas por 15 atores e atrizes que, além de atuar, executam a trilha sonora ao vivo.

Ficha Técnica:
Texto e direção: Marcelo Ádams
Elenco: Ândy, Caroline Costa, Denise Cruz, Eduardo Fronckowiak, Evandro Samuel, Gabriele Manteze, Jaqueline Mayer, João Pedro Corrêa, Luana Corrêa, Lucas Soares, Mari Mü, Maria Carolina Aquino, Matheus Ramires, Tiago Bayarri, Yuri Niederauer
Iluminação: Rodrigo Waschburger e Tiago Bayarri
Operação de luz: Luana Garcia
Produção: Eduardo Fronckowiak, Matheus Ramires e Tiago Bayarri
Cenografia, figurinos e trilha sonora: Po(l)vo do Teatro
Fotos de divulgação: Victoria Sanguiné
Arte Gráfica: Eduardo Fronckowiak

O Polvo
Sala Álvaro Moreyra
Terças-feiras (04, 11, 18 e 25 de Maio) às 20 horas
Ingressos: R$30 Inteira, R$15 Meia-entrada
Duração: 70 minutos
Classificação Etária: 14 anos

07 de Maio

Caravana da Fantasia Conta O Patinho Feio

Foto – Rossano Pio

A programação infantil acontece com o espetáculo “Caravana da Fantasia Conta O Patinho Feio” na Sala Álvaro Moreyra todas as sextas-feiras (às 15h), sábados e domingos (às 16h) do mês de junho, às 19 horas. Os ingressos custam R$20 inteira e R$10 meia-entrada, podendo ser adquiridos na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Caravana da Fantasia Conta O Patinho Feio”. Texto que aborda de forma lúdica, temas atuais como: Bullying, preconceito e discriminação, com nuances social.

Diferente do conto de fadas do escritor Hans Christian Andersen, onde o Patinho Feio começa a sofrer discriminação em casa, renegado pela suposta mãe, que o abandona à própria sorte por ser diferente de seus irmãos. Na trama adaptada pelo dramaturgo gaúcho, Ronald Radde, o Patinho tem uma mãe cuidadosa e preocupada com os constantes ataques que o filho sofre com a agressividade dos outros animais, de quem recebe a alcunha de Patinho Feio.

Para evitar o sofrimento da mãe, que o defende com muita garra, ele foge da fazenda onde vive; enfrentando os perigos da floresta em busca de amizades. Depois de tanto perambular, já crescido, tem uma bela surpresa, ao se deparar com sua imagem refletida num lago, onde vê que se transformou num belo cisne negro. Que por ser uma espécie rara, é considerado o príncipe dos cisnes.

Ficha técnica:

Montagem: Cia de Arte Tríade
Adaptação: Ronald Radde e Reissoli Moreira
Direção: Reissoli Moreira
Cenografia: Dudu Xavier
Trilha Sonora: Dudu Xavier
Iluminação: José Hildemar Cavalheiro
Figurino: Titi Lopes
Customização de figurino: Andrea Rodrigues Schmitt
Fotografia: Rossano Pio
Produção: Gabi Xavier
Realização: Grupo CAT

Caravana da Fantasia Conta O Patinho Feio
Todas as sextas-feiras de junho às 15 horas e todos os sábados e domingos às 16 horas
Sala Álvaro Moreyra
Ingresso: R$20 inteira e R$10 meia-entrada na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: livre
Duração: 45 minutos

Doralice, a menina descalça

Foto: Gustavo Muller

O Teatro Renascença recebe o espetáculo infantil “Doralice, a menina descalça” todas as sextas-feiras (às 15h), sábados e domingos (às 16h) do mês de junho, às 19 horas. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Doralice e sua mãe vivem do trabalho de catação de lixo, o que não abala a criatividade da menina que vive contando e escrevendo histórias para seu amigo imaginário Ploc. Doralice sonha em ganhar um par de sapatos de presente no seu aniversário e quando a mãe vai sair ela dá uma carta lembrando isto. A menina se entretém em histórias para Ploc e termina entrando num mundo encantado da sua fantasia e sonho, encontrado personagens variados.

Doralice, a menina descalça
Todas as sextas-feiras de junho às 15 horas e todos os sábados e domingos às 16 horas
Teatro Renascença
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: livre
Duração: 50 minutos

Dispositivo-Gaivota

Foto: Adriana Marchiori

O Espetáculo “Dispositivo-Gaivota” acontece no Teatro Renascença em três sextas-feiras, os sábados e os domingos de junho (de 7 até 21) às 20h30. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos na bilheteria do local uma hora antes do evento.

À beira de um lago congelado, o dramaturgo Tchekhov, num acesso de febre, delira sua Gaivota. E nesse delírio, que também é nosso, a peça escoa por caminhos inesperados. O dispositivo-Gaivota criado pelo Coletivo Errática é uma apropriação de “A Gaivota”, de Anton Tchekhov, uma das maiores obras da dramaturgia moderna, que desdobra narrativa e personagens ecoando temas do Brasil contemporâneo.

Ficha técnica:
Direção: Francisco Gick Dramaturgia: Francisco Gick a partir de “A Gaivota” de Anton Tchekhov Elenco: Claudio Loimil, Diogo Rigo, Guega Peixoto, Gustavo Dienstmann, Jezebel De Carli, João Pedro Decarli, Mani Torres e Nina Picoli
Cenografia: Guega Peixoto e Francisco Gick Figurino: Gustavo Dienstmann Iluminação: Carol Zimmer
Sistema de sensores: Paula Pinheiro Trilha Sonora: Vitório Azevedo Cenotécnica: Daniel Fetter Produção: Guega Peixoto
Realização: Coletivo Errática

Dispositivo-Gaivota
Teatro Renascença
Três sextas-feiras, os sábados e os domingos de junho (de 7 até 21) às 20h30
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 16 anos
Duração: 70 minutos

Milhões contra Um

Foto: Adriana Marchiori

A Sala Álvaro Moreyra recebe em três sextas-feiras, os sábados e os domingos de junho (de 7 até 21) às 20h30 o espetáculo “Milhões contra um” sempre às 20 horas. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Milhões contra um é a primeira montagem teatral do Grupo Oazes composto por uma família de artistas com expressiva trajetória na cena gaúcha e com direção de Ricardo Zigomático. A montagem mostra uma mulher poderosa que, portando uma bomba, escolhe um homem para morrer com ela. Este homem tem exatos 50 minutos para ouvir esta mulher e tentar sobreviver. Neste ambiente de suspense desenvolve-se o diálogo entre estas duas figuras representativas de um contexto humano, criando um embate que questiona as condições sociais e de gênero. Tendo como pano de fundo a reflexão sobre a função da arte na sociedade contemporânea, representada pela família de artistas que compõe o grupo, com referências reais sobre a sua trajetória, fundindo a ficção e a realidade como em jogo onde a plateia deduz o que pode ser real.

Ficha técnica:         

Texto: Raul Germano Brandão e Grupo Oazes
Direção: Ricardo Zigomático
Elenco: Carlos Azevedo e Lisiane Medeiros
Design de Iluminação: Casemiro Azevedo
Trilha Sonora Original: Vitório O. Azevedo
Figurinos: Antonio Rabàdan
Maquiagem e Cabelo: Elison Couto
Maquiagem de efeito: Amanda Gatti
Programação Gráfica: Vitório O. Azevedo
Audiovisual: Amanda Gatti e Breno Dias
Cenografia: Grupo Oazes
Produção Executiva: Amanda Gatti
Vozes das atrizes: Sandra Dani, Vika Schabbac e Marina Fervenza
Fotos: Adriana Marchiori e Amanda Gatti

Milhões contra Um
Sala Álvaro Moreyra
Três sextas-feiras, os sábados e os domingos de junho (de 7 até 21) às 20h00
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada.
Classificação Etária: 14 anos
Duração: 50 minutos

Destaque

PROGRAMAÇÃO MAIO


04 de maio – Sábado

Subterrâneo

Foto: Mario Cassettari

Abrindo a temporada do Palco Giratório nos palcos do Centro Municipal de Cultura o grupo paulista “Gumboot Dança Brasil” apresenta o espetáculo “Subterrâneo” no Teatro Renascença neste sábado, 04 de maio, às 21 horas. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

O espetáculo traça um paralelo entre a experiência dos mineiros africanos do século XIX e a sobrevivência da população negra e periférica das grandes metrópoles brasileiras nos dias de hoje. Suburbanos explorados cotidianamente, com suas memórias sendo soterradas e suas vozes abafadas por um regime de extermínio que avança sistematicamente. Como sobreviver? Como ressignificar o cenário e resgatar a humanidade dentro de uma estrutura tão repressora e historicamente violenta? A voz que ecoa na caverna é a mesma que faz a travessia pelas ruas da cidade. As cores e a dores também são as mesmas. A motivação uma só: VIDA para ser celebrada com toda sua potência, originalidade, ancestralidade, memória e verdade. O manifesto: O corpo, a voz, o canto, dança e o coletivo forte e vivo.

Ficha técnica:

Diretor e coreógrafo: Rubens Oliveira.
Direção Musical: Lenna Bahule e Rubens Oliveira.
Trilha Sonora Gravada: Lenna Bahule, Alysson Bruno e Rubens Oliveira. Roteiro: Naruna Costa e Rubens Oliveira.
Dançarinos: Danilo Nonato, Diego Henrique, Munique Mendes, Pâmela Ammy, Rafael Oliveira, Rubens Oliveira, Samira Marana, Silvana de Jesus e Washington Gabriel. Músicos: Mauricio Oliveira, Dudu Marmo e Alencar Martins.
Figurino: Danilo Maganha. Visagista: Emerson Murad.
Cenário: Karen Furbino. Cenotécnicos: Alexandre Souza e Rager Luan.
Pintura de Arte: Edna Nogueira. Design de Luz: Melissa Guimarães.
Operação de Luz: Kelson Barros. Operação de Som: Rogerio Sierra.
Assistente de produção: Washington Gabriel.
Produção Geral: Kelson Barros.

Subterrâneo
Grupo: Gumboot Dança Brasil/SP
Sábado (04/05) às 21 horas
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: Livre
Duração: 45 minutos

07 de Maio

Estava em Minha Casa e Esperava que Chuva Viesse

Dando continuidade ao Projeto Novas Caras a Sala Álvaro Moreyra recebe o espetáculo “Estava em Minha Casa e Esperava que a Chuva Viesse”. As apresentações acontecem toda terça-feira do mês de maio às 20 horas. Os ingressos custam R$20 e R$10 a meia-entrada, podendo ser comprados uma hora antes da apresentação na bilheteria do Centro Municipal de Cultura.

Três corpos em suspensão: mulheres não nomeadas. Todas, as três, muito parecidas em uma espera ininterrupta pelo Irmão Mais Novo, que deixou a casa e ainda não regressou. Estava em minha casa e esperava que a chuva viesse é uma livre adaptação da obra de Jean-Luc Lagarce, cujas narrações da realidade se confundem com devaneios, imaginações, invenções quaisquer, coisas de vossas cabeças. A espera pode ter fim, ou pode custar uma vida.

Ficha Técnica

Elenco: Bruna Johann, Jaqueline Mayer e Savana Flores
Direção: Gustiele Fistaról
Orientação: Jezebel De Carli
Iluminação: Cássio Azeredo
Figurino: Gustiele Fistaról
Cenário: O grupo

Estava em Minha Casa e Esperava que Chuva Viesse
Sala Álvaro Moreyra
Terças-feiras (07, 14, 21 e 28 de Maio) às 20 horas
Ingressos: R$20 Inteira, R$10 Meia-entrada
Duração: 36 minutos
Classificação Etária: 16 anos

08 de Maio

Das Cinzas Coração

Foto: Adriana Marchiori

Na programação do Palco Giratório o espetáculo “Das cinzas coração” se apresenta na Sala Álvaro Moreyra nesta quarta-feira, 08 de maio, às 19 horas. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Qual o sentido de, em pleno século XXI, num espetáculo de circo-teatro, usar a linguagem do cinema de 100 anos atrás para contar uma história de opressão feminina passada em 1920? É que estas cenas seguem reencenadas na vida real, em todo canto, todas as classes sociais e orientações religiosas ou políticas. O espetáculo brinca que é cinema mudo em preto-e-branco, com trilha ao vivo feita por um pianista como os da época. Tudo pra fazer rir com Aurora, que tenta espremer a poesia possível do seu já murcho lar, nada doce lar. Porque a gente acredita que não há nada mais transformador que o riso – 23 séculos antes do cinema, Aristóteles já dizia disso. Só que usamos de referência um filósofo mais contemporâneo: o cítrico e genial cineasta Buster Keaton.

Ficha técnica:
Direção: Jéferson Rachewsky
Elenco e Dramaturgia: Jéferson Rachewsky e Valquíria Cardoso
Trilha sonora: Arthur de Faria
Concepção visual e figurinos: Valquíria Cardoso
Cenografia: Alex Limberger e Valquíria Cardoso
Adereços: Diego Steffani e Valquíria Cardoso
Criação de luz: Osvaldo Perrenoud
Operação de luz: Daniel Fetter
Operação de vídeo: Alex Limberger.

Das Cinzas Coração
Grupo: Quimera Criações Artísticas & Teatro Ateliê / RSQuarta-feira (08/05) às 19 horas
Sala Álvaro Moreyra
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Clássificação Etária: 12 anos
Duração: 40 minutos

08 e 09 de Maio

Chapeuzinho Vermelho

Foto: Adriana Marchiori

O Espetáculo “Chapeuzinho Vermelho” acontece no Teatro Renascença nesta quarta-feira (08) às 15 horas e na quinta-feira (09) às 19h. A apresentação compõe a programação do Festival Palco Giratório. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Com linguagem híbrida, que mescla teatro, dança e música, o espetáculo dirigido por Camila Bauer é uma experiência que encanta crianças e adultos de diferentes maneiras com uma proposta de distintas camadas de percepção, dependendo do repertório de quem assiste à montagem. O texto inédito no Brasil é de Joël Pommerat, um dos mais importantes dramaturgos franceses da contemporaneidade, reconhecido por suas narrativas líricas e instigantes para públicos adultos e/ou infantis, que nesta obra traz à tona uma espécie de “iniciação ao medo”, como o autor mesmo define, em que a criança depara-se com os riscos e, ao mesmo tempo, o fascínio pelo desconhecido representado pela estrada – ou, metaforicamente, a própria passagem da vida infantil à adulta.

Ficha técnica:
Texto: Joël Pommerat
Tradução: Giovana Soar
Direção: Camila Bauer
Elenco: Fabiane Severo, Guilherme Ferrêra, Henrique Gonçalves e Laura Hickmann
Direção coreográfica: Carlota Albuquerque
Composição e desenho sonoro: Álvaro Rosa Costa
Preparação vocal: Luciana Kiefer
Cenografia: Élcio Rossini
Figurino: Daniel Lion
Iluminação: Thais Andrade
Maquiagem: Luana Zinn
Criação e confecção de máscara: Diego Steffani
Criação e confecção de gobos: Pedro Lunaris
Identidade visual: Jéssica Barbosa
Psicólogos colaboradores: Sahaj, Camila Noguez e Pedro Lunaris.

Chapeuzinho Vermelho
Grupo Gompa / RS
Teatro Renascença
Quarta-feira (08) às 15 horas e Quinta-feira (09) às 19 horas
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 7 anos
Duração: 50 minutos

09 de Maio

R.A.L.E. (Realidade Apropriada Libera Evidência)

A Sala Álvaro Moreyra recebe nesta quinta-feira (09) às 21 horas o espetáculo R.A.L.E. (Realidade Apropriada Libera Evidência) apresentação compõe a programação do Festival Palco Giratório. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

O espetáculo é um corpo preado por um sentido político que desfavorece um terço da imensa população brasileira, não é a questão de permanecer e pertencer aquele lugar e sim de ser tratado como apenas um mero corpo. Um corpo construído como um dispêndio de energia muscular, em meio a ruas, avenidas, becos, vielas, subidas, decidas, em uma cidade desigual, a qual um dos maiores desafios é se sustentar perante o seu próprio corpo.

Ficha técnica:
Criação, pesquisa, figurino e dança: Jessé Batista
Assistência de direção e iluminação: Sara Lessa
Colaboração artística: Valéria Nunes(AL), Marcos Mattos(MS).

R.A.L.E. (Realidade Apropriada Libera Evidência)
Sala Álvaro Moreyra
Quinta-feira (09) às 21 horas
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 10 anos
Duração: 35 minutos

10 de maio

Nesse Mundo Maluco

Foto: Adriana Marchiori

O Espetáculo “Nesse Mundo Maluco” acontece no Teatro Renascença nesta sexta-feira (10) às 10 horas e também às 15h. As apresentações compõem a programação do Festival Palco Giratório. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Nesse Mundo Maluco é um espetáculo poético e divertido com canções autorais que retratam a infância na sociedade moderna. A conexão afetiva e educativa entre pais e filhos; a relação da criança com ela, com os outros e o ambiente; sentimentos como o medo, coragem, tristeza, amor e alegria são alguns dos temas presentes. Com uma musicalidade diversificada, coreografias, encenações teatrais, brincadeiras e expressões da cultura popular brasileira, o espetáculo propõe uma experiência sonora-visual-interativa cheia de surpresas, cativando e envolvendo, tanto as crianças como os adultos. Com as crianças o espetáculo busca instigar os sentidos e a imaginação e, com os adultos, acessarem a sua criança interior e refletirem suas relações com as pessoas da idade infantil. As músicas são resultado de muita pesquisa e observação do cotidiano, segundo o compositor Rodrigo Apolinário. Como referências, ele cita as obras “A psicanálise dos contos de fada”, de Bruno Bettelheim; “O Tao da Música”, de Carlos D. Fregtman, e “O homem e seus símbolos”, de Carl Jung.

Ficha técnica:
Músicos: Marie Jafy, Rodrigo Apolinário, Isaias Luz, Yvan Etienne.
Direção artística, figurinos, arranjos vocais e instrumentos: Grupo MÙ. Composições musicais: Rodrigo Apolinário. Iluminação: Carol Zimmer. Orientação cênica: Rudinei Morales. Orientação coreográfica: Juliana Coutinho. Produção executiva: Raiar Produções

Nesse Mundo Maluco
Teatro Renascença
Sexta-feira (10) às 10 horas e às 15 horas
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: Livre
Duração: 50 minutos

11 de Maio

Clownbaré

Foto: Gabriel Guirá

O Palco Giratório toma o saguão do Centro Municipal de Cultura com o grupo do Distrito Federal “Cabaré das Rachas” que apresentam o espetáculo “Clownbaré” neste sábado, 11 de maio, às 22 horas. A intervenção é aberta ao público.

Resultado de uma ação multiplicadora de saberes em circo-teatro, que se dá a partir do encontro e das partilhas entre mulheres palhaças e suas criações. Palhaças, artistas de circo, da poesia, das culturas populares e de rua das cidades são convidadas a um encontro com o trio de palhaças do Cabaré das Rachas- DF para esta empreitada político-afetiva do humor e da palhaçaria de mulher.

Ficha técnica:
Direção artístico-pedagógica – Ana Flavia Garcia
Assistência de Direção – Elisa Carneiro
Registro – Ana Luiza Bellacosta
Provocadoras em palhaçaria – Ana Flavia Garcia, Ana Luiza Bellacosta e Elisa Carneiro
Coordenação de Produção – Juliana Cury

Clownbaré
Cabaré das Racha / DFSaguão do Centro Municipal de Cultura
Sábado (11) às 22 horas
Ingresso: Gratuito
Classificação Etária: 16 anos

11 e 12 de Maio

Hotel Mariana

Foto: Custódio Coimbra

A temporada do Palco Giratório nos palcos do Centro Municipal de Cultura segue com o grupo paulista “Cia da Palavra” que apresenta o espetáculo “Hotel Mariana” na Sala Álvaro Moreyra neste sábado, 11 de maio e no domingo, 12 de maio, às 19 horas. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Eram quase três e meia da tarde de 5 de novembro de 2015, um dia quente, como de costume no vale do Rio Doce, quando a barragem de rejeitos de minérios de Fundão, em Mariana-MG, com cerca de 55 bilhões de litros de lama espessa, rompeu-se sobre os distritos de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo. Depoimentos perturbadores e surpreendentes são colocados no palco e evidenciam a simplicidade de pessoas que perderam tudo ou quase tudo o que tinham. Da criança do grupo escolar ao velho da folia de reis, do ativista de direitos humanos à aposentada que escreve poemas, somos convidados a escutar os sobreviventes que, com suas histórias, traçam um panorama político, histórico e cultural do nosso país.

Ficha técnica:
Elenco: Anna Toledo, Bruno Feldman, Clarissa Drebtchinsky, Fani Feldman, Isabel Setti, Letícia Rocha, Marcelo Zorzeto, Munir Pedrosa, Rita Batata, Rodrigo Caetano
Idealização e pesquisa: Munir Pedrosa
Dramaturgia: Munir Pedrosa e Herbert Bianchi
Direção: Herbert Bianchi
Assistente de direção: Letícia Rocha
Designer de luz: Rodrigo Caetano
Operador de Luz: Ricardo Bretones
Cenário: Marcelo Maffei e Herbert Bianchi
Figurinos: Bia Piaretti e Carol Reissman
Direção de produção: Munir Pedrosa

Hotel Mariana
Teatro Renascença
Sábado (11) e domingo (12) às 19 horas
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 14 anos
Duração: 70 minutos

WhatsApp Para Shakespeare

Foto: Claudio Etges

O Espetáculo “Whatsapp para Shakespeare” acontece no Teatro Renascença nesta sábado (11) e domingo (12) às 21 horas. As apresentações compõem a programação do Festival Palco Giratório. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

WhatsApp para Shakespeare, inspirada no universo do dramaturgo William Shakespeare, parte do desejo de encenar “Sonho de uma noite de verão” mas torna-se uma tentativa frustrada pelas breves interrupções e interferências de outros textos do autor (breves diálogos que transitam entre os temas amor e poder). A montagem questiona, com certa ironia, as relações do mundo “hiperconectado”, as comunicações interrompidas e o entrelaçamento de assuntos, tantas vezes incompreensíveis como as mensagens do WhatsApp. Na montagem se expressam e harmonizam o real e o fantástico.

Ficha técnica:
Concepção e Direção: Carlota Albuquerque
Intérpretes criadores: Carini Pereira, Caroline Fossá, Danielle Costa, Leslie Taubê, Leonardo Patro, Roberto Mendes, Tiago Ruffoni e Tom Peres
Artista colaboradora: Joana Wiladino
Produção: Cristina Colares Pereira
Figurino: Fabrízio Rodrigues
Iluminação: Guto Greca
Desenho de Som: Álvaro Costa
Vídeomaker: Ricardo Vivian

Whatsapp para Shakespeare
Canoas Coletivo de Dança / RS
Teatro Renascença
Sábado (11) e domingo (12) às 21 horas
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 12 anos
Duração: 50 minutos

16 de Maio

Macbeth e o Reino Sombrio de Shakespeare para Crianças

O Espetáculo “Macbath e o Reino Sombrio: Shakespeare para Crianças” acontece no Teatro Renascença nesta quinta-feira (16) em duas apresentações, uma às 10h e outra às 15h. A programação dá continuidade ao Festival Palco Giratório. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Os generais de guerra Macbeth e Banquo voltam triunfantes de uma batalha contra a Noruega. Passando por um pântano, se deparam com três bruxas que lhes apresentam algumas previsões sobre o futuro dos dois: “Macbeth será Barão de Cawdor e, futuramente, Rei. E Flaêncio, filho de Banquo será também rei”. A ambição de Macbeth e sua esposa Lady Macbeth diante das profecias das bruxas os levam a cometer um gesto de traição contra o rei. A partir daí muitas batalhas acontecerão.

Ficha técnica:
Texto inspirado de Macbeth de William Shakespeare
Direção: João Pedro Decarli
Elenco: Camila Pasa, João Pedro Decarli e Rodrigo Waschburger
Criação de trilha sonora original e operação: Rafael Decarli
Criação de luz e operação: Bathista Freire
Figurino e cenário: o grupo.

Macbeth e o Reino Sombrio de Shakespeare para Crianças
Coletivo Órbita / RS

Teatro Renascença
Quinta-feira (16) às 10h e às 15h
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: Livre
Duração: 50 minutos

Meu Seridó

Foto: Bruno Martins

O Espetáculo “Meu Seridó” acontece na Sala Álvaro Moreyra nesta quinta-feira (16) às 19 horas. A apresentação compõe a programação do Festival Palco Giratório. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Um território nostálgico de arengas e amores. Você desfrutará da famosa hospitalidade seridoense. Ficará sabendo das histórias do lugar: uma arena seca e tórrida, onde sobreviver é estratégia. Conhecerão seus habitantes, vivos e mortos, reais e lendários, animais, humanos e até míticos. Ouvirá casos nunca antes contados, por vozes há muito caladas. Em apenas uma hora, dez mil anos de Seridó passarão diante de seus olhos. Universal ao falar da própria aldeia, Meu Seridó versa, acima de tudo, sobre o mais atual (e eterno) dos temas. Trata da relação do Homem com a Terra – que nesse começo de milênio chega a um grave impasse. Tudo, é claro, com muito humor, música e boas doses de reflexão.

Ficha técnica:
Direção: César Ferrario
Dramaturgia: Filipe Miguez
Elenco: Titina Medeiros, Nara Kelly, Caio Padilha, Marcílio Amorim e Igor Fortunato
Direção de arte: João Marcelino
Direção musical: Caio Padilha
Pesquisadora: Leusa Araújo
Design de luz: Ronaldo Costa
Cenotécnico: Rogério Ferraz
Produção executiva e operação de som: Arlindo Bezerra
Produção artística e coordenação de produção: Titina Medeiros
Assistente de direção e direção de movimento: Dudu Galvão
Filmmaker: Carito Cavalcanti
Equipe de cenotécnica e montagem: Janielson Silva e Sandro Paixão Operação de luz: Janielson Silva
Operação de som: César Ferrario
Assistência de figurino: Pierre Keyth Modelista e costureira: Fátima Rocha
Costureira: Sigeane Borges da Silva

Meu Seridó
Casa de Zoé / RNSala Álvaro Moreyra
Quinta-feira (16) às 19h
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: Livre
Duração: 65 minutos

17 de Maio

A Mulher do Fim do Mundo

Foto: Alexander Galvão

A temporada do Palco Giratório nos palcos do Centro Municipal de Cultura segue o espetáculo “A Mulher no Fim do Mundo” na Sala Álvaro Moreyra nesta sexta, 17 de maio, às 19 horas. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

O solo “A Mulher do Fim do Mundo” é um tiro no escuro, e que dentro de um estado reflexivo uma mulher se depara com a existência de um corpo que respira a cada segundo para se manter de pé. Neste estado existencialista, estabelece um diálogo visceral e direto do corpo e, com os corpos, onde através do corpo e do seu discurso, valida a existência desses vários corpos que atravessa gerações flagelados socialmente.

Ficha técnica:
Direção: Jones Barsou
Interprete: Ana Caroline
Operação de Som: Jones Barsou
Figurino, maquiagem: A Cia. Dramaturgia: Jones Barsou
Iluminação: Eloy Pessoa
Imagens e Vídeo: Luiza Nobre

A Mulher do Fim do Mundo
Cia Casa Circo / AP
Sala Álvaro Moreyra
Sexta-feira (17) às 19h
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 14 anos
Duração: 35 minutos

18 e 19 de Maio

Navalha na Carne Negra

Foto: Sergio Fernandes

O Palco Giratório nos palcos do Centro Municipal de Cultura continua com o espetáculo “Navalha na Carne Negra” na Sala Álvaro Moreyra neste sábado, 18 de maio e no domingo, 19 de maio, às 19 horas. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Nessa Navalha na Carne Negra, as figuras em jogo não são apenas vítimas ou imagens de uma destituição absoluta. Elas são, sobretudo figuras em luta: corpos negros ressurgentes. O roubo do dinheiro deixado pela prostituta Neusa Sueli para seu cafetão Vado é o disparador dos confrontos que emergem do impulso reiterado de satisfação.

Ficha técnica:
Direção geral e dispositivo cênico: José Fernando Peixoto de Azevedo
Assistência de Direção e Vídeo: Flávio Moraes
Atores: Lucélia Sergio, Raphael Garcia, Rodrigo dos Santos
Operação de Câmera: Isabel Praxedes
Desenho de Luz: Denílson Marques
Produção: Corpo Rastreado

Navalha na Carne Negra
Sala Álvaro Moreyra
Sábado (18) e domingo (19) às 19h
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 16 anos
Duração: 60 minutos

Cérebro Coração

Foto: Maurício Fidalgo

O Espetáculo “Cérebro Coração” acontece no Teatro Renascença neste sábado (18) e domingo (19) às 21 horas. A apresentação compõe a programação do Festival Palco Giratório. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Cérebro_Coração é uma peça-conferência. Um caminho percorrido entre o teatro e a sala-de-aula a partir da memória, das alteridades, da experiência construída pela linguagem e extravasada nas muitas formas de vida que nos moldam e em muitas outras possíveis. Uma experiência de diálogo que coloca em perspectiva modos de aprendizagem, de sensibilização e o entendimento científico-poético do mundo, retorcido por transfigurações da linguagem, da experiência cênica e do corpo, esse esqueleto adormecido nas narrativas e, ao mesmo tempo, tão responsável por nos manter de pé. O trabalho resgata, em sua essência, dois lugares historicamente transformadores: o teatro e a sala-de-aula | o cérebro e o coração.

Ficha técnica:
Atuação e dramaturgia: Mariana Lima
Direção e colaboração dramatúrgica: Enrique Diaz e Renato Linhares
Cenografia: Dina Salem Levy
Iluminação: Beto Bruel
Operação de luz: Luana Della Crist
Operação de projeções: Lina Kaplan
Operação de som: Joana Guimarães
Camareira e contrarregra: Conceição Telles
Direção de palco: Iuri Wander
Produção e administração: Quintal Produções
Direção geral: Verônica Prates
Coordenação artística: Valencia Losada

Cérebro Coração
Teatro Renascença
Sábado (18) e domingo (19) às 21h
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 14 anos
Duração: 70 minutos

22 de maio

Voa – Teatro Para Bebês

Foto: Maíra Zannon

O Espetáculo “Voa – Teatro Para Bebês” acontece na Sala Álvaro Moreyra nesta quarta-feira (22) às 15 horas. A apresentação compõe a programação do Festival Palco Giratório. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Livremente inspirado em A menina e o Pássaro Encantado, de Rubem Alves, oespetáculo percorre o caminho das sutilezas e dos sentidos, tratando de cumplicidade e de saudades, mas principalmente de liberdade. As meninas e os pássaros que habitam o conto brincam com muitas possíveis relações de amizade, em ambiências que estimulam a interação do bebê com as luzes, os sons, os aromas e a cenografia. Entre idas e vindas de um pássaro viajante, VOA transgrede as noções tradicionais de tempo, de espaço e de amor.

Ficha técnica:
Realização: Coletivo Antônia
Direção: Rita de Almeida Castro
Elenco: Cirila Targhetta e Tatiana Bittar
Dramaturgia: Rita de Almeida Castro e Coletivo Antônia
Cenário e figurino: Roustang Carrilho
Música e Sonoplastia: Euler Oliveira
Desenho de Luz: Marcelo Augusto Santana
Design Gráfico: Ilha Design
Coordenação técnica e Operação de luz: Euler Oliveira

Voa – Teatro Para Bebês
Coletivo Antônia / DF
Sala Álvaro Moreyra
Quarta-feira (22) às 15h
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: Livre
Duração: 40 minutos

23 e 24 de Maio

Ordinários

Foto: Carlos Gueller

O Palco Giratório nos palcos do Centro Municipal de Cultura continua com o espetáculo “Ordinários” na Teatro Renascença nesta quinta-feira, 23 de maio e sexta-feira, 24 de maio, às 19 horas. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Em algum lugar, três soldados formam um pelotão improvável. Diante da angústia da espera, esmeram-se em treinamentos até finalmente receber uma missão. Quanto mais avançam pelo território inimigo, fica evidente os segredos que um esconde do outro e quanto são inadequados para o mundo da guerra. Mas afinal quem é adequado para a guerra?

Ficha técnica:
Concepção: Alvaro Assad, Fernando Paz, Fernando Sampaio e Filipe Bregantim
Roteiro: Newton Moreno, Alvaro Assad e LaMínima
Assistente de Dramaturgia: Almir Martines
Direção e Preparação Mímica: Alvaro Assad
Direção musical e música original: Marcelo Pellegrini
Elenco: Fernando Paz, Fernando Sampaio e Filipe Bregantim
Iluminação: Marcel Alani
Figurino e Visagismo: Carol Badra
Cenografia: LaMínima
Adereços: Dario França, Juciê Batista e Reticências
Assessoria técnica de Magia: Ricardo Malerbi
Direção de produção: Luciana Lima
Produção executiva: Priscila Cha
Assistência de produção e de administração: Chai Rodrigues
Supervisão geral: Fernando Sampaio

Ordinários
La Mínima / SP
Teatro Renascença
Quinta-feira (23) e sexta-feira (24) às 19h
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 14 anos
Duração: 70 minutos

Isto é um Negro?

Foto: Rodrigo de Oliveira

A temporada do Palco Giratório nos palcos do Centro Municipal de Cultura segue com o grupo paulista “EqueméGosta?” que apresenta o espetáculo “Isto é um Negro” na Sala Álvaro Moreyra nesta quinta-feira (23) e sexta-feira (24), às 21 horas. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

O espetáculo é um estudo sobre o que é ser negro e negra no Brasil e, especificamente, sobre o que é ser um artista negro(a) no país hoje. Algumas perguntas e tentativas de respostas permearam a construção desse dispositivo,  como discutir negritude e questões raciais a partir de experiências singulares? Por outro lado: como transformar teoria em cena? A partir de leituras das obras de Fred Moten, Achille Mbembe, Bell Hooks, Grada Kilomba, Frantz Fanon (1925-1961), Sueli Cordeiro e Aimé Cesaire (1913-2008), o grupo elaborou as questões que tenta materializar em cena. A montagem evidencia o racismo como prática estrutural no Brasil, explicitando como essa norma se dissipa para todas as ordens de convívio, no desejo de construir estratégias de diálogo sobre essa atitude que se perpetua.

Ficha técnica:
Elenco: Ivy Souza, Lucas Wickhaus, Mirella Façanha e Raoni Garcia
Direção: Tarina Quelho
Co-direção: Lucas Brandão
Dramaturgia: Mirella Façanha e Tarina Quelho
Som: Tom Monteiro
Operação de Som: Fernanda Feliz
Luz: Lucas Brandão
Cenotécnico: Lam Matos
Fotos: Rodrigo Oliveira
Produção: Dani Façanha

Isto é um Negro?
Equemégosta? / SP
Sala álvaro Moreyra
Quinta-feira (23) e sexta-feira (24) às 21h
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 18 anos
Duração: 100 minutos

25 de Maio

Cria

Foto: Renato Mangolin

O Espetáculo “Cria” acontece no Teatro Renascença neste sábado (25) às 21 horas. A apresentação encerra a programação do Festival Palco Giratório no Centro Municipal de Cultura. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos no site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.

É um espetáculo de dança que abrange o passinho do funk, a dancinha e a dança teatro. A peça investiga os entrelaçamentos entre os significados da noção de criação. Criar um espetáculo, criar uma técnica tão nova como o passinho (que pode ser considerado o primeiro estilo de dança urbana brasileiro), criar filhos. A criação de todos nós, que viemos do ato sexual, tão próximo da dança. A dança da favela, da corda bamba – tantos morrem e nascem. Vidas tão arriscadas que valorizam cada instante. O coração insiste, cria a dança que está na vanguarda do mundo: o grupo esteve nos últimos quatro anos rodando a Europa com seu trabalho vibrante. O ódio de se viver sob tanta violência transformada em potência criativa; a cena que se vê é um filme sem pausa pra respirar, que vai do afeto à violência, nascimento e morte, os atravessamentos da linguagem em uma explosão de criatividade.

Ficha técnica:
Direção: Alice Ripoll
Interpretação: Tiobil Dançarino Brabo, Kinho JP, VN Dançarino Brabo, Nyandra Fernandes, May Eassy, Romulo Galvão, Sanderson Rei da Quebradeira, Thamires Candida, GB Dancy, Ronald Sheik
Assistência de direção/operador de som: Alan Ferreira
Produção: Rafael Fernandes
Iluminação: Andréa Capella
Figurino: Raquel Theo
Direção Musical de funk: DJ Pop Andrade

Cria
Cia Suave / RJ
Teatro Renascença
Sábado (25) às 21h
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada. No site (http://www.sesc-rs.com.br/ingressos/) ou na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: 14 anos
Duração: 50 minutos

Destaque

Programação de Abril


Programação Abril

Confira a programação teatral completa do mês de Abril no Centro Municipal de Cultura!

ELAS

Foto: Jean Pierre Kruze

A Sala Álvaro Moreyra recebe o espetáculo “Elas” neste mês de abril todas as sextas, sábados e domingos sempre às 20 horas. Os ingressos custam R$ 40 inteira e R$ 20 a meia-entrada com venda no Saguão do Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues uma hora antes da apresentação iniciar.

A partir da performance, do repertório e anseios das atrizes, num processo de investigação e criação coletiva, “Elas” evocam suas ancestrais, arquétipos e signos, numa atmosfera de sonho. Constituída de poesias, manifestos, referências pessoais, fragmentos biográficos e, como uma sexta personagem, pela água. A cenografia é um ambiente preto, onde as atrizes, conforme a cena se desenvolve, têm seus corpos encharcados. O cenário constitui um espelho d’água que pretende criar um espaço de dobras e rugas, representando o Universo e, ainda, o espaço interno das emoções.

A cada dia a abertura do espetáculo é realizada por uma artista local convidada. “Elas” as artistas, apresenta a todos públicos uma obra singular através das histórias particulares de cada atriz, e reconhece as artistas da cena local.

Ficha técnica:

Direção: Everson Silva
Atuação: Kacau Soares, Leticia Kleemann, Paula Cardoso, Raquel Tessari e Val Barcellos
Dramaturgia: Everson Silva, com citações de “Desta Cor” de Fernanda Bastos Trilha Sonora: Composição original de Maninho Melo
Cenografia: Jony Pereira
Iluminação: Veridiana Mendes
Figurino: Lê Brochier
Maquiagem: criação coletiva
Fotografia: Jean Pierre Kruze
Produção: Pedro dos Santos
Realização: Nós Cia. de Teatro.

Elas
Sala Álvaro Moreyra
Sextas (5, 12, 19 e 26), Sábados (6, 13, 20 e 27) e Domingos (7, 14, 21 e 28) às 20 horas
Entrada: R$ 40 no local ou R$ 20 de meia-entrada
Duração: 50 minutos
Classificação: 14 anos

Tambo do bando

O Teatro Renascença recebe o show “Tambo do Bando” neste domingo (7) às 19h. A apresentação do grupo celebra os 30 anos de trajetória com releitura dos clássicos do grupo. Os ingressos custam R$ 50 inteira, R$ 25 a meia-entrada e ingresso solidário mediante a entrega de 1kg de alimentos não perecíveis em prol da Retomada Mbya Guarani das Terras do Arado Velho. Os ingressos antecipados já estão a venda na livraria Bamboletras (Rua Lima e Silva, 776 – Shopping Olaria).

Com direção musical e arranjos do Tambo do Bando, o roteiro é formado pelo repertório do álbum duplo (canções dos discos Ingênuos Malditos e Tambo do Bando) e pelas músicas  inéditas que estarão no novo disco, entre elas: Inacabada, Há um louco no vagão e Recantar uma milonga, além do Pout-Pourri de clássicos da canção brasileira e regional como Asa Branca (L. Gonzaga e H. Teixeira) e Os homens de preto (Paulo Ruschel).

Ficha Técnica

Tambo do Bando – Autores:

Beto Bollo – violão e voz, Carlos Leandro Cachoeira  – violão e voz, Marcelo Lehmann – teclado e voz, Texo Cabral – flauta, harmônica e voz, Vinicius Brum – violão e voz

Músicos acompanhantes:
Duca Duarte – contrabaixo, Paulinho Goulart – acordeon, Pirisca Greco – bateria

Direção musical e arranjos:  Tambo do Bando

Supervisão visual de cena: Cristina Pozzobon

Concepção, projeto visual, design e produção gráfica: Cristina Pozzobon

Criação figurinos: Cristina Pazzobon e Tambo do Bando

Fotos divulgação: Cláudio Etges, Cláudio Fachel e Paulo de Araújo

Fotos show: Cláudio Fachel

Texto Programa: Juarez Fonseca

Assessoria de Imprensa e produção executiva: Dinorah Araújo

Produção vídeos: Cláudio Piedras e João Gabreil  Lehmann

Execução cenário: Cristina Pozzobon

Gravação e edição imagens do cenário: Cláudio Piedras

Operador de vídeo: Andres Costa

Produção Spot: Eduardo Prates

Produção VT: Cláudio Piedras

Criação e operação da luz: Paulo Fernando Pinto da Costa

Roadie: Cau Gomez

Técnico de som: Clauber de Almeida Scholles

Realização: Dinorah Araújo – Produção Cultural e Assessoria de Imprensa

Tambo do Bando 30 anos – Com o pé no galpão e a cabeça na galáxia
Teatro Renascença
Domingo (7 de abril) 19 horas
Entrada: R$ 50,00 inteira, R$ 25,00 meia-entrada e ingresso solidário (mediante a entrega de 1kg de alimentos não perecíveis em prol da Retomada Mbya Guarani das Terras do Arado Velho)
Duração: 70 minutos

Fábrica de Robôs

Foto: Adriana Marchiori

O espetáculo Fábrica de Rôbos chega na Sala Álvaro Moreyra compondo o Projeto Novas Caras. A montagem estará em cartaz todas as terças-feira de Abril (9, 16, 23 e 30) sempre às 20h. Os ingressos podem ser adquiridos por R$ 25 (inteira) e R$ 12,50 (meia) na bilheteria do teatro 1h antes do espetáculo.

Baseada na obra de Karel Tchápek, “Fábrica de Robôs” apresenta o cotidiano de uma gigantesca empresa de tecnologia responsável pela criação de máquinas tão perfeitas que seriam capazes de substituir o ser humano em todas as suas funções. Entre arquivos corrompidos, falhas no sistema e respostas automáticas, humanos e robôs se enfrentam na última batalha pela sobrevivência da espécie.

Para reproduzir a rigidez da fábrica, placas metálicas cobrem todo o fundo do palco. Nas laterais, paredes transparentes servem como saídas de cena que mantêm os atores sob olhar do público. Os espaços da fábrica são compostos por quatro estruturas de ferro, em forma de L, que são manuseadas pelos atores.

Uma peça de acrílico também assume diferentes funções e posições e ajuda a criar efeitos de luz e reflexos. Os figurinos, em tons de cinza a preto, são, em sua maioria, peças de alfaiataria customizadas para criar um ar futurístico/fashionista. A maquiagem procura reproduzir um visual plastificado e os cabelos são puxados com gel, para representar a artificialidade dos personagens. A sonoplastia é composta por sons produzidos pelos próprios atores, pela voz ou objetos, e amplificados e/ou modificados por microfones que são utilizados durante a peça. Também há alguns efeitos sonoros e trilha musical para estabelecer os climas ao longo da história. A luz utilizada é, majoritariamente, fria, com destaque para a luz azul. Também são utilizados lasers e lanternas em cenas específicas. As placas metálicas interagem com a luz e ajudam acompor a estética da peça.

Ficha Técnica:

Direção: Camila Bauer

Direção Coreográfica: Carlota Albuquerque

Direção Musical: Everton Rodrigues

Elenco: Alexei Goldenberg, Artur Luzardo, Cristiano Nascimento, Ewillyn Lopes, Franco Mendes, Gabriel Martins, Henrique Lago, Leandra Kruger, Luiza Waichel,Natália Ferreira, Pâmela Manica, Rafael Dorneles, Renata Lorenzi,Yuri Amaral, Zé Passos

Dramaturgia: Pedro Bertoldi, Camila Bauer e Carina Corá, escrita colaborativamente a partir de textos do elenco e da obra Fábrica de Robôs, de Karel Tchápek.

Criação e Operação de Luz: Ricardo Vivian

Operação de som: Vitório Oliveira Azevedo

Fábrica de Robôs
Sala Álvaro Moreyra
Todas as terças-feiras de abril (9, 16, 23 e 30) sempre 20h
Entrada: R$ 25 (inteira) e R$ 12,50 (meia), na bilheteria do teatro 1h antes do espetáculo

Duração: 60 minutos

Urso com música na barriga

Foto: Adriana Marchiori

A Cia Atimonautas – Teatro de Bonecos traz para o palco do Teatro Renascença o espetáculo “Urso com música na barriga” nas sextas (12, 19 e 26) 15 horas, enquanto nos sábados (13, 20 e 27) e domingos (14, 21 e 28) sempre às 16 horas. Os ingressos custam R$ 40 inteira e R$ 20 a meia-entrada com venda no Saguão do Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues uma hora antes da apresentação iniciar.

O Urso com Música na Barriga narra as aventuras de um ursinho especial que se expressa pelos sons melodiosos de sua barriga e impressiona pela riqueza de seu enredo, pela engraçada peculiaridade de seus personagens e ,sobretudo, pela forte mensagem de humanidade que carrega. Usa o texto de Erico Verissimo abordando temas como intolerância, dificuldade de comunicação e bullying, assuntos muito discutidos nos dias de hoje.

O grupo Atimonautas escolheu usar bonecos de manipulação direta (grandes e pequenos), bonecos de vestir e marionetes, num grande esforço para representar as diversas atmosferas da obra de Erico Verissimo. Essas técnicas fazem parte do universo mágico do teatro de animação e, ao interagirem, produzem efeitos que tendem a uma representação do fantástico, mergulhando no ambiente dos contos de fadas. O método de trabalho do grupo foi estabelecido pelo convívio profissional que iniciou em 2005. Através de pesquisas, improvisações e diálogos contínuos, os integrantes, em encontros diários, vão elaborando as cenas e estudando os movimentos dos bonecos até o ponto em que as cenas tomem forma e façam sentido dentro da dramaturgia pretendida. A novidade no processo de concepção do grupo Atimonautas, para a montagem O Urso com Música na Barriga, é a direção de Arlete Cunha, atriz de notável destaque na cena de Porto Alegre. A iluminação também tem importante papel e, portanto, o iluminador Vinícius Lopes assumiu a tarefa de encontrar as nuances certas que contribuirão com os tons coloridos da encenação.

Ficha Técnica:

Texto: Érico Veríssimo

Direção: Arlete Cunha

Assistência de direção: Dedy Ricardo

Atuação/Manipulação: Alberto Vermelho, Dênis Moreira, Mairã Alves e Jacqueline Rosa

Locução: Alberto Vermelho, Dedy Ricardo, Dênis Moreira, Jacqueline Rosa, Rafael Cambará e Ricardo Pavão

Concepção de bonecos, cenários e figurinos: Dênis Moreira

Confecção de bonecos, cenários e figurinos: Ateliê Nunes

Engenharia Eletrônica: Marcelo Patines

Iluminação: Vinícius Lopes e Vicente Goulart

Trilha original: Ricardo Pavão

Gravação de trilha: Mosaico Produtora Cultural

Designer gráfico: Dídi Jucá

Fotografia: Adriana Marchiori

Produção executiva e divulgação: Raiar Produções.

Realização: Atimonautas Teatro de Bonecos

Urso com música na barriga
Teatro Renascença
Sextas (12, 19 e 26) 15 horas / Sábados (13, 20 e 27) e Domingos (14, 21 e 28) sempre às 16 horas

Entrada: R$ 40 no local ou R$ 20 de meia-entrada

Duração: 45 minutos
Classificação: Livre

Fantástico circo de um homem só

A Cia Rustica apresenta no Teatro Renascença o espetáculo “Fantástico circo de um homem só” nesta sexta-feira (26), sábado (27) e domingo (28) sempre 20h30. Os ingressos podem ser adquiridos uma hora antes do evento nos valores de R$30 a inteira e R$15 a meia-entrada.

No palco-picadeiro, Heinz Limaverde transita por vários tipos do imaginário circense, como a mulher-barbada, o mágico, a vedete, o cantor, o palhaço; além de expor sua própria persona. A dramaturgia se inspira na estrutura polifônica do circo, combinando comédia, biografia, poesia, música, manifesto, festa. Em uma celebração dos pequenos circos brasileiros e da arte popular, propõe-se espaços de encontro onde o real e o sonho dançam no picadeiro, como ruptura efêmera do cotidiano, “no combate contra a gravidade que diz que toda arte lança um desafio”.

 A montagem integra o repertorio da Cia Rústica, um dos núcleos teatrais mais significativos da cidade, desenvolvendo desde 2004 uma trajetória com vários projetos premiados e reconhecidos por crítica e público. Prêmio Açorianos 2011 de Melhor Direção e Figurino.

Ficha Técnica:

Texto: Heinz Limaverde e Patricia Fagundes
Direção: Patricia Fagundes
Elenco: Heinz Limaverde
Cenário: Juliano Rossi e Paloma Hernandez
Figurino: Daniel Lion
Iluminação: Anderson Balhero
Trilha Sonora: Simone Rasslan  
Produção executiva: Di Nardi
Assessoria de Imprensa: Leo Santanna

Fantástico circo de um homem só
Teatro Renascença
Sexta-feira (26), sábado (27) e domingo (28) sempre 20h30
Entrada: R$ 30 no local ou R$ 15 de meia-entrada
Duração: 65 minutos
Classificação: 14 anos

Para que servem as coisas?


Para que servem as coisas?

O Espetáculo infantil “Para que servem as coisas?” acontece na Sala Álvaro Moreyra sexta, sábado e domingo (12 a 14 de julho) às 16h. Os ingressos custam R$30 inteira e R$15 meia-entrada, podendo ser adquiridos na bilheteria do local uma hora antes do evento.

Sala Álvaro Moreyra
Sexta, sábado e domingo (12 a 14 de julho) às 16h
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia-entrada na bilheteria do local uma hora antes do evento.
Classificação Etária: livre
Duração: 45 minutos

Sinopse:
Menino sofre pequeno acidente nas primeiras tentativas em andar de bicicleta sem as rodinhas de trás e sua mãe decide vendê-la para uma loja de consertos gerais. Inconsolado, o garoto visita a loja e descobre que os objetos que esperam conserto têm vida e, na verdade, não estão estragados – apenas querem mudar de função. Decidido a reaver sua amiga de aventuras, ele passa a ajudar os diversos objetos a realizar seus sonhos.

Ficha técnica:
Direção geral e cênica, dramaturgia e produção executiva: Tainah Dadda
Direção geral, dramaturgia, animações e projeções mapeadas e produção executiva: Thais Fernandes
Atuação: Eduardo Dávila
Cenografia: Luísa Copetti
Figurino: Daniel Lion
Trilha sonora:Carina Levitan