Seminário – Teatro de Rua "Processos Comtemporâneos II" – HÁ VAGAS!


Seminário Teatro de Rua “Processos Contemporâneos II”
15.04 (19h às 21h), 19.04 (15 às 18h – 19h às 21h), 20.04 (19h às 21h)
Teatro Renascença e Teatro do SESC
Inscrições: envio de nome completo e telefones de contato para o e-mail cac@smc.prefpoa.com.br

O seminário é GRATUITO, mas solicitamos a doação de 1kg de alimento não-perecível,
que será destinado a doação.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

15 de abril, quinta-feira – das 19h às 21h – Teatro RENASCENÇA

Conferência “Elemento para um cartografia da grupalidade”

“Para pensar a questão da grupalidade, pretendo oferecer alguns tópicos conceituais distintos, inspirados em diferentes pensadores. Não posso, aqui, aprofundar nenhum deles, será uma evocação supersônica de cada um, talvez um pouco selvagem. O propósito é que cada um escolha, disso tudo, o que mais lhe interesse para pensar a questão dos grupos, deixando de lado o resto, e componha sua problemática segundo suas necessidades.”

Peter Pál Pelbart é filósofo e ensaísta. Nasceu em Budapest, estudou em Paris e atualmente vive em São Paulo, onde é professor titular de filosofia contemporânea na Pontifícia Universidade Católica. Publicou os seguintes livros: Da Clausura do Fora ao Fora da Clausura: Loucura e Desrazão (Brasiliense, 1989); A Nau do Tempo-rei: 7 ensaios sobre o tempo da Loucura (Imago, 1993); O Tempo não-reconciliado (Perspectiva, 1998); A vertigem por um fio: Políticas da subjetividade contemporânea (Iluminuras, 2000) e Vida Capital: ensaios de biopolítica (Iluminuras, 2003). Traduziu para o português, de Gilles Deleuze, Conversações, Crítica e Clínica e parte de Mil Platôs V (todos pela Ed. 34). Há doze anos coordena um projeto de teatro com pacientes ditos psicóticos. Esta experiência resultou na constituição da Cia Teatral Ueinzz, com um histórico de mais de duzentas apresentações no circuito cultural brasileiro e internacional.

19 de abril segunda-feira, – das 15h às 18h – Teatro do SESC

Conferência “Eu privado/Eu público: a intimidade posta em cena”

A fronteira entre o privado e o público têm sido redefinido ao longo do século XX em campos diversos como a arte, as mídias, a política e a moral. A criação cênica, caracterizada de forma especial por sua projeção pública, também tem se convertido em um espaço de negociação entre intimidade e política, individuo e coletividade. Neste trabalho se exploram algumas chaves desse campo de tensão entre o público e o privado que definem as práticas cênicas, analisando as opções que tem adotado alguns criadores contemporâneos.

Óscar Cornago é investigador do Centro de Humanidades e Ciências Sociais do Conselho Superior de Investigações Cientificas de Madrid. Seu trabalho tem se especializado na história do teatro contemporâneo e teoria das mídias. Entre seus últimos livros se encontram La vanguardia teatral en España (1965-1975): del ritual al juego, Pensar la teatralidad y Resistir en la era de los medios: estrategias performativas en literatura, teatro, cine y televisión. Tem estudado e documentado a obra de artistas da cena contemporânea da Espanha e Latino-americana em livros como Políticas de la palabra, Éticas del cuerpo y Acercamientos a lo real. É coordenador do Arquivo Virtual das Artes Cênicas (http://artesescenicas.org) e integrante do grupo de investigação ARTEA (http://www.arte-a.org).

19 de abril, segunda-feira – das 19h às 21h – Teatro do SESC

Conferência – “Representações Sociais e Espaço Público: A Construção Simbólica dos Espaços Públicos no Brasil”

Como o espaço público no Brasil é pensado e representado tanto por cidadãos comuns como por atores da vida política nacional, como ele aparece na mídia e na vida cotidiana e como ele emerge enquanto representação social.

Sandra Jovchelovitch é internacionalmente reconhecida pelo seu trabalho no campo das representações sociais e é considerada uma das mais influentes psicólogas sociais trabalhando na Europa hoje. É professora e diretora do Instituto de Psicologia da London School of Economics and Political Science e dirige o Programa de Mestrado em Psicologia Social e Cultural. No Brasil, Jovchelovitch também dirige, com Pedrinho Guareschi, a coleção Psicologia Social Contemporânea, da Editora Vozes. Já publicou Representações Sociais e Espaço Público: A Construção Simbólica dos Espaços Públicos no Brasil (2000) e Textos em Representações Sociais (1994). Seu ultimo livro, Os Contextos do Saber: Representações, comunidade e cultura, foi traduzido pela Vozes e lançado no Brasil em 2008.

20 de abril, terça-feira– às 18h – Teatro RENASCENÇA

Lançamento do Livro “A Memória do Teatro de Rua em Porto Alegre”

Sinopse: Três anos de pesquisa, de um revirar a memória teatral da Cidade através da generosa colaboração dos integrantes de diversos Grupos que atuam e atuaram em Porto Alegre. Os capítulos atendem à recente produção que vai do início dos anos oitenta aos dias de hoje, passa pelo período de gênese da teatralidade de rua ao apogeu desta modalidade.

Autor: Jessé Oliveira, Diretor de espetáculos como Os Fuzis da Senhora Carrar, Hamlet Sincrético e Antígona Br, formado em direção teatral pela UFRGS e especialização em teatro contemporâneo na mesma instituição. É responsável pela disciplina Técnica Teatral na Pós-Graduação da Universidade de Caxias do Sul, Corpo e Cultura: Ensino e criação. Reconhecido por sua trajetória em teatro de rua e sala, tem participado de eventos no Brasil, Chile, Uruguai e Argentina.

20 de abril, terça-feira– Das 19h às 21h – Teatro RENASCENÇA

“A Fisionomia da Cena de Rua em Porto Alegre e as Marcas de tais Relações”

O lugar e o significado da experiência do teatro de rua em Porto Alegre na produção contemporânea Brasileira.

Sílvia Fernandes – Graduação, mestrado e doutorado em Artes Cênicas na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Realizou pós-doutoramento na Universidade de Paris 8, em 2003. Atualmente é professora adjunta da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em teoria do teatro, atuando principalmente na área de teatro brasileiro contemporâneo.

Rosyane Trotta Diretora, autora, ensaísta, pesquisadora e professora. Discípula do crítico Yan Michalski, especializa-se no tema de teatro de grupo, pesquisando seus princípios, conceitos, metodologias e mudanças no decorrer das décadas. Possui mestrado em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (1995) e doutorado em Teatro pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2008). Atualmente é professora da UNI-RIO. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Direção Teatral, atuando principalmente nos seguintes temas: encenação, dramaturgia e processo criativo. Tradutora, juntamente com o crítico Yan Michalski, de A Arte do Ator, de Jean-Jacques Roubine, pela Zahar, 1988. Publicou, em co-autoria com Michalski, Teatro e Estado – As Companhias Oficiais de Teatro no Brasil, pela Ed. Hucitec, 1992.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s