Sessão da classe apresenta: Patricia Fagundes


Para se ter e ser sucesso, sorria sempre! Quando você sorri, mesmo que não esteja sentindo nada, o seu cérebro recebe uma mensagem de que está tudo bem!

Em um estudo realizado em um hospital psiquiátrico, 02 grupos de pacientes maníaco depressivos com tendências suicidas foram submetidos a diferentes terapias. Em um deles foi colocado um esparadrapo nos cantos da boca, o que fazia parecer que estavam sorrindo.
Este grupo apresentou uma melhora mais rápida porque, ao “sorrirem” mandavam ao cérebro uma mensagem de fe-li-ci-da-de!

O que é isso de sucesso? A pressão de ser e ter sucesso pode fazer muito mal à sua saúde… Se sucesso é chegar “lá”, lá é onde? Como o espaço é infinito, não existe final ou topo. A gente caminha mas não chega a lugar nenhum, o importante é caminhar. Se sucesso é “dar certo”, então é algo bem relativo, depende do que cada um acha certo. Escolha: o sucesso da Marina Abramovic ou da Lady Gaga? Ganhar o concurso de melhor bunda do país ou prêmio de literatura? Hilda Hilst ou Jorge Amado? Festival Internacional de Montemor ou Broadway? Teatro comunitário ou novela na Globo? Experiência de risco ou um milhão de espectadores pagantes? Pequenos ou grandes teatros? Morar em Porto Alegre ou São Paulo? Dar aula ou fazer comercial? Eu tenho minhas preferências, como cada um terá as suas. Nem sempre elas são excludentes, nem sempre tenho a mesma opinião ou as mesmas vontades, quase sempre nada é preto ou branco, me confundo quase sempre. Cada escolha implica diferentes perspectivas de “êxito”, tem suas próprias demandas, supõe distintas estratégias. O que é óbvio, claro. Mas não é difícil esquecer tua própria bússola e ficar seguindo parâmetros e mapas de uma sociedade que constantemente vende desejos, ideais, sonhos, fórmulas de sucesso e felicidade que tentam ajustar as pessoas às necessidades do mercado. E enquanto escrevo isso penso nessa música que eu adoro do Nei Lisboa, “eu quero quero quero quero tudo pra mim… quero o mel/u …eu confesso eu quero é sucesso! eu me entorto depois passo mal, eu me atrolho depois pago o preço eu mereço! “… 😉

Patricia Fagundes – Diretora da Cia Rústica de Teatro e professora de direção teatral no Departamento de Arte Dramática da UFRGS.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s