Ivo Bender por Mauricio Guzinski


“Nascido, aqui, em São Leopoldo, o nosso mais importante dramaturgo, Ivo Bender, completa 50 anos de teatro e, no dia 23 de maio, 75 anos de vida. Tanto a obra como o homem de teatro, Ivo Bender, me tocam de uma forma muito profunda, desde minhas raízes na cena, em Porto Alegre.

Bender foi um de meus mestres nos cursos de Licenciatura em Arte Dramática e Direção Teatral (que concluí na UFRGS, no início da década de 80). Graças a ele, agucei meu gosto pela arte de escrever para o palco, pela palavra escrita para ser dita por um ator, no espaço cênico. Com ele ampliei minha capacidade de saborear a leitura e também a escuta das palavras de Shakespeare, Garcia Lorca, Jorge Andrade e de tantos outros gênios da literatura dramática. Daquelas palavras que tiveram origem na mente e no coração de escritores, como ele (Ivo Bender), para atravessar a alma, o corpo e a boca dos atores e chegar, por fim, aos ouvidos, sentidos e emoções do espectador, na platéia de um teatro.
Durante minha própria trajetória, escrevi, em conjunto com o Grupo Pés na Terra, Dona Possança. Com aquele texto o grupo de atores deu voz à saga dos imigrantes italianos no RS e obtivemos o privilégio de ter essa criação teatral publicada na Coleção Textos & Roteiros (do Instituto Estadual do Livro/RS, em 1988), ao lado de outras duas peças de Ivo Bender. Uma dessas obras era o Cabaré de Maria Elefante, estreada em 1981 (um ano antes da nossa). Coincidentemente, esta peça teatral é, agora, a base para o novo trabalho que eu e o Grupo Experimental de Teatro da SMC estamos preparando, desde outubro de 2010, para estrear na SEMANA de celebração a IVO BENDER, que irá ocorrer de 23 a 29 de maio (numa promoção conjunta da SMC/POA e do SESC/RS).

O espetáculo se chama Cabaré do Ivo. Trata-se de um “coquetel infernal” das peças do autor: Cabaré de Maria Elefante, Mulheres Mix, Quem roubou meu Anabela, Surpresa de verão, Sexta-feira das Paixões, Os desterrados/1826 e As cartas marcadas ou Os assassinos. “Coquetel” porque o roteiro oferece sabores de comédia, drama, melodrama, tragédia – gêneros teatrais em que o nosso dramaturgo transita com sua peculiar maestria. “Infernal” porque também traz as costumeiras pitadas do vasto conhecimento do autor sobre mitologia nas mais diversas culturas. Nos moldes do tradicional teatro de revista brasileiro, o público vai presenciar cenas curtas sobre vampiros, demônios, criminosos, uma morta-viva milagreira, dois travestis (Jean Harlow e Rita Hayworth); a hilária cena de um juiz embriagado que, em plena audiência de separação, sentencia ao casal (em litígio): um “menage a trois” (em que ele, o próprio juiz, seria a terceira ponta do triângulo). Todas essas histórias inusitadas e muito mais! Pois Ivo Bender é um escritor “fabuloso” (ao pé da letra e da palavra!). Tem o domínio, o poder da “fábula”, o dom de contar histórias como ninguém.

O Grupo Experimental de Teatro, projeto criado pela SMC, em 2008, e, desde lá, sob minha responsabilidade é uma nova oportunidade para a pesquisa e o aperfeiçoamento de atores locais. Na atual experiência de montagem (a terceira do GET) os atores selecionados e que integram o elenco são Amanda Novinski, André Gazineu, Dinorah Araújo, Juçara Gaspar, Naiara Harry, Paula Souza, Samanta Sironi e Silvana Ferreira. O cenário e o figurino são assinados por Lara Coletti e Marina Schuch, a Iluminação por Carmem Salazar, a maquilagem e os cabelos por Fabrízio Rodrigues. A operação de som está nas mãos de Denis Moreira de Souza. A trilha sonora (bastante eclética, vai do popular tango Jalousie à irreverência de Chocante, canção de Eduardo Dusek) e assim como a direção musical são de Marcelo Delacroix. Carlota Albuquerque, por sua vez, é responsável pela direção coreográfica, já a direção de atores é de Laura Backes e a direção geral (e o roteiro ao lado do grupo de atores) ficam por minha conta. “

Cabaré do Ivo será apresentado com ENTRADA FRANCA, dias 27, 28 e 29 de maio de 2011, às 20h, na Sala Álvaro Moreyra do Centro Municipal de Cultura (Av. Erico Verissimo, 307). Não percam!

Mauricio Guzinski iniciou sua carreira como ator, em 1976, é também diretor e professor de teatro e vem se dedicando, desde 1985, à realização de projetos na área de Artes Cênicas como funcionário da Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre.

* Fotos: Ivo Bender por Fernanda Chemale

Maurício Guzinski por Guilherme Pires


CLIQUE AQUI PARA VER A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA SEMANA.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s