MOSTRA EM HOMENAGEM AO ATOR WALMOR CHAGAS


Dentro da programação da 8ª edição do Festival de Inverno da Secretaria da Cultura de Porto Alegre, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) promove entre os dias 23 e 28 de julho uma mostra em homenagem ao ator gaúcho Walmor Chagas, morto em janeiro deste ano.

Profissional que fez história no teatro, no cinema e na televisão brasileira, Walmor Chagas nasceu em 28 de agosto de 1930, em Porto Alegre, onde deu seus primeiros passos na carreira artística junto ao grupo de teatro do Colégio Júlio de Castilhos. Aos 18 anos, já integrava o elenco de Antígona, montagem do Teatro do Estudante do Rio Grande do Sul, cuja estreia aconteceu em agosto de 1948, no Theatro São Pedro. Decidido a dedicar-se inteiramente à atuação, Chagas transferiu-se para São Paulo em 1953, onde em pouco tempo seria contratado pelo célebre TBC – Teatro Brasileiro de Comédia, a principal companhia teatral da época. Casou-se com a atriz Cacilda Becker, a maior estrela do TBC, ao lado de quem atuou em vários espetáculos, e fez sua estreia no cinema em 1965, na obra-prima São Paulo S.A., de Luiz Sérgio Person. Na televisão, participou de grandes sucessos como as novelas Beto Rockfeller, Locomotivas, Coração Alado e Vereda Tropical e as minisséries Avenida Paulista e Os Maias.

A programação em homenagem a Walmor Chagas, proposta pela Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria da Cultura de Porto Alegre, inclui a exibição de alguns dos principais filmes de Walmor, como os clássicos São Paulo S.A., de Luiz Sérgio Person, e Xica da Silva, de Cacá Diegues, além de dois filmes recentes protagonizados por Walmor no Rio Grande do Sul, o longa Valsa para Bruno Stein, de Paulo Nascimento, e o curta Mapa Mundi, de Pedro Zimmermann.

O coquetel de abertura da Mostra Walmor Chagas será no dia 23 de julho, às 19h, com uma sessão de autógrafos do livro Walmor Chagas – Ensaio Aberto para um Homem Indignado, de Djalma Limongi Batista (lançado pela Imprensa Oficial de São Paulo), seguida pela exibição do documentário biográfico Autovideografia, que Limongi Batista dedicou a Walmor. Cineasta amazonense radicado em São Paulo, Djalma Limongi Batista também dirigiu o ator em um de seus maiores sucessos no cinema, o longa Asa Branca, um Sonho Brasileiro, lançado em 1981, também presente na mostra. O cineasta virá especialmente a Porto Alegre para participar desta homenagem a Walmor Chagas. Seu documentário Autovideografia, que realizou a pedido do próprio Walmor, inclui inúmeras sequências em Porto Alegre e também no Festival de Gramado, e conta com a participação de personalidades como Paulo Autran, José Lewgoy, Paulo Hecker Filho e Eva Sopher.

Toda a programação da Mostra Walmor Chagas é aberta ao público e tem entrada franca.

GRADE DE HORÁRIOS

23 de julho (terça-feira)

19:00 – Coquetel de abertura da mostra, com sessão de autógrafos do livro

Walmor Chagas – Ensaio Aberto para um Homem Indignado

e exibição do documentário Autovideografia, ambos de Djalma Limongi Batista

24 de julho (quarta-feira)

15:00 – São Paulo S. A.

17:00 – Asa Branca, um Sonho Brasileiro

25 de julho (quinta-feira)

15:00 – Beijo 2348/72

17:00 – Mapa Mundi + Valsa para Bruno Stein

19:00 – Cara ou Coroa

26 de julho (sexta-feira)

15:00 – Xica da Silva

17:00 – Cara ou Coroa

19:00 – Luz del Fuego

27 de julho (sábado)

15:00 – Autovideografia

17:00 – São Paulo S.A.

19:00 – Xica da Silva

28 de julho (domingo)

15:00 – Beijo 2348/72

17:00 – Mapa Mundi + Valsa para Bruno Stein

19:00 – Asa Branca, um Sonho Brasileiro

 
 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s