PROGRAMAÇÃO COMPLETA – JANEIRO


Porto Verão Alegre

Nasbecolândia

Nasbecolandia 2 Crédito Adriana Marchiori
Foto:Adriana Marchiori

Onde: Teatro Renascença

Data: 5 de janeiro, sexta-feira, às 16 horas

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 50 minutos

Classificação: Livre

 

Sinopse: Inspirado no conto O Alfaiate Valente, dos irmãos Grimm, o espetáculo narra a cômica história de Nasbecolândia, um reino que está sendo atacado por gigante terrível. Este gigante está acabando com o lugar e provocando a fuga dos melhores cavaleiros da Rainha Sganarela III. Desesperada, a rainha ordena que Amadeu, seu desastrado arauto, vá até a cidade e encontre um cavaleiro corajoso que possa enfrentar o inimigo. E é neste momento que um certo alfaiate, que havia matado sete moscas de uma só vez, cruza o caminho de Amadeu e a confusão está armada.

Utilizando elementos da Commedia dell’Arte como base da construção de personagens, Nasbecolândia traz a cena um épico infantil repleto de cenas de ação, aventuras e romance.

 

Ficha Técnica

Texto: Rodrigo Kão Rocha

Direção: Clarissa Gomes

Elenco: Rodrigo Kão Rocha, Clarissa Gomes, Guilherme Ferrêra, Stephanie Cardoso, Daiane Oliveira

Figurino: Rodrigo Kão Rocha

Cenário: Clarissa Gomes

Iluminação: Carlos Azevedo

Sonoplastia: Rodrigo Kão Rocha

Operadora de som: Manuella Goulart

Assistente de palco: Glória Souza

Arte gráfica: Rodrigo Kão Rocha

 

O Anexo Secreto

O Anexo Secreto 2 Crédito Jéssica Barbosa
Foto: Jéssica Barbosa

Onde: Sala Álvaro Moreyra

Datas: 5, 6 e 7 de janeiro; sexta, sábado e domingo, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 90 minutos

Classificação: 12 anos

 

Sinopse: O espetáculo é baseado na obra O Diário de Anne Frank, escrito pela jovem judia na tentativa de criar um território seguro dentro de um mundo em guerra. A peça trabalha com a dualidade entre o real e o alegórico – encontrando a poética em uma História na qual marcava tragicamente indivíduos com estrelas amarelas no peito. O mundo acorda em guerra e Anne desperta ânsias adolescentes; em meio ao pesadelo surge o amor, a sexualidade e a incompreensão de um universo em que a liberdade se torna o sonho mais precioso.

 

Ficha Técnica
Elenco: Gabriel Fontoura, Leo Bello, Madalenna Leandra, Natália Vargas Xis
Direção: Fernanda Moreno e Juliano Rabello
Dramaturgia: Fernanda Moreno e grupo
Operadora e criação de Luz: Bruna Immich
Operador e criação de trilha sonora: Ismael Goulart e Estêvão Trindade
Cenografia: Lilian Nunes da Silva
Produção: Gabriel Fontoura e Raiar Produções
Assessoria de Imprensa: Gustavo Saul
Orientação: Gisela Habeyche
Arte gráfica e fotografia: Jéssica Barbosa
Apoio: Complexo Criativo Cômica Cultural

 

O que os Homens Pensam que as Mulheres Pensam 

O que os Homens Pensam que as Mulheres Pensam Crédito Laercio Lacerda
Foto:Laercio Lacerda

Onde: Teatro Renascença

Datas: 6, 7, 8 e 9 de janeiro; sábado, domingo, segunda e terça-feira, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 70 minutos

Classificação: 14 anos

 

Sinopse: O QUE OS HOMENS PENSAM QUE AS MULHERES PENSAM? É uma comédia de gênero que discute o gosto, os conflitos, a sexualidade e os mistérios femininos a partir da visão de uma travesti e três homens heterossexuais.Apeça se passa dentro de um banheiro público. Marcus (que pretende impressionar uma possível namorada), deverá participar de alguns jogos proposto por Pety (a travesti), onde viverão diversos tipos de papeis e encontros sexuais e amorosos.Eles contam com a ajuda de Faro e Anjo, e transformam o banheiro num espaço de grandes, divertidas e atrapalhadas representações.

 

Ficha Técnica:
Texto: Pedro Delgado
Elenco: Douglas Carvalho, Henri Iunes, Luis Carlos Pretto e Pedro Delgado
Iluminação: Criação: Paulo Romera e Vilmar Silva(operação) Vilmar Silva
Figurino: Grupo Teatro Lá Em Casa
Cenografia: Grupo Teatro Lá Em Casa
Trilha sonora: Orientação: Emerson Maicá. Execução: os próprios atores
Direção: Pedro Delgado
Produção: Pedro Delgado

Alice Além da Toca do Coelho

Alice além da toca do coelho 1 Crédito Adriana Marchiori
Foto: Adriana Marchiori

Onde: Teatro Renascença

Data: 7 de janeiro, domingo, às 16h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 60 minutos

Classificação: Livre

 

Sinopse: Conta a história da menina Alice que, após cair em um buraco perseguindo um coelho branco, descobre um novo mundo, com chapeleiro maluco, lebre de março, Rainha de Copas e muito mais. Neste país tão diferente, Alice se depara com questionamentos filosóficos que a transformam como pessoa, deixando-a ainda mais curiosa.

O espetáculo é voltado ao público infantil e tem como objetivo ressignificar o pensar filosófico na infância. Questiona temas e comportamentos humanos atuais, de modo a fazer as crianças refletirem, de forma lúdica, sobre problemáticas contemporâneas como o poder, o egoísmo, a educação, os relacionamentos, a amizade, entre outras questões filosóficas como existencialismo, cultura, indivíduo e sociedade.

 

Ficha Técnica:
Direção: Sue Gotardo
Elenco: Danuta Zaghetto, Fabiana Santos, Luiz Manoel e Thiago Silva
Cenografia: Teatro Ateliê
Figurino: Daniel Lion
Iluminação: Thays Andrade
Trilha Sonora: Cau Netto
Preparação Corporal: Béthany Martínez
Produção: Sue Gotard

 

Baila Melancia

Baila Melancia 2 Crédito Luis Paulot (1)
Foto: Luis Paulot

Onde: Sala Álvaro Moreyra

Data: 9 de janeiro, terça-feira, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 50 minutos

Classificação: 7 anos

 

Sinopse: Espetáculo de dança-teatro, linguagem própria, repleto de elementos da cultura e da arte tradicional gaúcha que mescla técnicas de contação de histórias, teatro, dança tradicional gaúcha com seus “sarandeios e sapateios”. Há ainda, elementos das danças: flamenca, danças de salão, ballet e dança contemporânea. Neste trabalho, a História é contada em um Ato Único, a partir da fusão das técnicas supracitadas enriquecidas por elementos da técnica teatral. Com dramaturgia original livremente inspirada no Conto “Melancia – Coco-Verde” de João Simões de Lopes Neto. Com linguagem, figurinos, cenografia e trilha inspirados na cultura gaúcha reforçando a ludicidade da construção de uma identidade local e também trazendo questionamentos sobre a cultura de violência contra a mulher.

 

Ficha Técnica
Livremente inspirado na obra de João Simões de Lopes Neto  “Melancia-Coco Verde”
Texto e Direção: Guilherme Ferrêra
Elenco: Alessandra Bier, Clarissa Gomes, Fernando Queiroz, Henrique Gonçalves, Janaína Dambros, Luísa Oliveira, Raphael de Paula e Renata Stein
Elenco stand by (Jordan Maia e Stephanie Cardoso)
Assistência de Direção: Clarissa Gomes
Direção Coreográfica: Guilherme Ferrêra
Produção: Rococó Produções Artísticas e Culturais
Trilha Sonora Original e pesquisada: Leandro Berlesi e Flávia Nogueira
Cenografia: Rococó Produções Artísticas e Culturais
Figurino: Vera Lúcia Machado
Iluminação: Norton Goettems
Operação de som: Ariel Medeiros
Identidade Visual: Jéssica Barbosa
Fotografias: Luis Paulot
Edição e captação de vídeo: André Bozzetti
Realização: Rococó Produções Artísticas e Culturais

 

A Doce Bárbara – Maria Bethânia 

A Doce Bárbara Crédito Mainquest
Foto: MainQuest

Onde: Teatro Renascença

Datas: 16, 17 e 18 de janeiro; terça, quarta e quinta-feira, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 60 minutos

Classificação: Livre

 

Sinopse: Comédia musical que narra a vida de uma cantora da MPB. Inspirado na diva Maria Bethânia o texto mistura ficção e realidade com música. Criado há mais de 30 anos pelo seu intérprete, o ator e cantor Antonio Carlos Falcão, este é um espetáculo que já faz parte do calendário cultural da capital gaúcha. Acompanhado por músicos excelentes, além de Bethânia, Falcão imita Chico Buarque e brinca com um histriônico Ney Matogrosso.

 

Ficha Técnica
Maria Bethânia: Antonio Carlos Falcão
Cordas: Alexandre Missel /gugga Rays
Percuteria: Bruno Coelho / Greg Patrocínio
Luz: Marga Ferreira
Som: Clauber Scholles
Figurino: Ro Cortinhas

 

Amor de 4 

Amor de 4 Crédito Mainquest (2)
Foto: MainQuest

Onde: Sala Álvaro Moreyra

Datas: 16, 17, 18, 19, 20 e 21 de janeiro; terça a domingo, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 75 minutos

Classificação: 16 anos

 

Sinopse: Com base nos “Fragmentos do Discurso Amoroso” de Roland Barthes, o espetáculo se debruça sobre os signos do amor: o encontro, a paixão, o ciúme, a briga, o fim, o luto etc. Estes “signos” amorosos são apresentados através de cenas clássicas de Shakespeare, . Alexandre Dumas Filho, Goethe e Henrik Ibsen. Os diretores constroem uma narrativa ágil num cenário minimalista com o auxílio de imagens especialmente criadas pelo videomaker Daniel Jainechine. (Godspell, Dona Flor, A Ópera dos 3 Vinténs)A trilha e a iluminação são operadas pelos dois atores, em alguns momentos, com Nicolas Vargas ao piano, os atores interpretam canções como “Creep” do Radiohead, “Back To Black” de Amy Winehouse entre outras.

A direção é de Zé Adão Barbosa e Carlota Albuquerque que juntos já fizeram “O Apanhador”, “O Mambembe”, “A Gaivota”, “A Ópera dos 3 Vinténs”, “Dona Flor e seus Dois Maridos”.

 

Ficha Técnica
Elenco: Ana Mainieri e Nicolas Vargas
Iluminação:  Ricardo Vivian
Trilha Sonora: Zé Adão Barbosa
Sonoplastia: Rubia Esmeris
Cenário: Jony Pereira
Vídeos: Daniel Jainechine
Figurinos: Zeca Woolf
Divulgação: Assessoria de Flor em Flor
Roteiro: Zé Adão Barbosa
Direção: Zé Adão Barbosa e Carlota Albuquerque

 

Santo Qorpo ou O Louco da Província

Qorpo Santo 2 Crédito Martino Piccinini
Foto: Martino Piccinini

Onde: Teatro Renascença

Datas: 19, 20 e 21 de janeiro; sexta, sábado e domingo, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 90 minutos

Classificação: 12 anos

 

Sinopse: “Santo Qorpo ou O Louco da Província” é livremente inspirada no livro “Cães da Província” de Luiz Antônio de Assis Brasil e na Enciclopédia e peças teatrais de Qorpo Santo. Por volta de 1860, o professor do magistério da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, poeta, crítico político, inquieto jornalista, autodenominado Qorpo Santo, vê seu destino fatalmente transformado. Interesse econômico por parte da esposa? Ou interesse moral por parte de uma sociedade que não tolera alguém que comente seus erros?
Qorpo Santo (1829-1883), como resgatar o admirável estético de sua criação?
Como resgatar o imaginário de sua época, ressignificá-lo e buscar, lá onde as origens se fazem mais despercebidas, possibilidades da realização desse imaginário? Recriá-lo no fazer teatral – vida, semântica e presentificação – é uma possibilidade potente. Todavia, um imaginário só não faz arte. É preciso a sustentação simbólica, a articulação dos registros, documentar na pele da história da Cidade. Criar um canal, que elucide dois séculos de uma escassez de informações sobre a vida e a obra de um dos maiores dramaturgos brasileiros de todos os tempos, inquieto jornalista, poeta e historiador urbano.
Santo Qorpo ou O Louco da Província é um convite à percorrermos sua poética!

 

Ficha Técnica

Roteiro livremente inspirado no romance “Cães da Província”, de Luiz Antônio de Assis Brasil e nos textos de Qorpo Santo

Direção: Inês Marocco
Elenco: Aline Ferraz, Eduardo Schmidt, Jeferson Cabral, Juçara Gaspar, Ketti Maria, Magda Schiavon, Naomi Luana, Renan Leandro, Renata Cieslak e Rodolfo Ruscheinsky
Cenografia, arte gráfica e fotografia: Martino Piccinini
Figurino: Rô Cortinhas
Iluminação: Fernando Ochoa
Operação de Luz: Thaís Andrade
Assistência de direção: Gabriela Boccardi e Magda Schiavon
Dramaturgia: Áquila Mattos, Jeferson Cabral, Juçara Gaspar e Naomi Luana
Orientação musical: Adolfo Almeida Jr.
Criação e execução da trilha sonora: O grupo
Assistência na orientação musical: Eduardo Schmidt
Produção: Jeferson Cabral, Juçara Gaspar, Naomi Luana e Renata Cieslak
Divulgação: Juçara Gaspar

 

 

Os Homens do Triângulo Rosa

Os Homens do Triângulo Rosa 3 Crédito Adriano Arantos
Foto: Adriano Arantos

Onde: Teatro Renascença

Datas: 23, 24 e 25 de janeiro; terça, quarta e quinta-feira, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 120 minutos

Classificação: 16 anos

 

Sinopse: O tema desse premiado espetáculo é a perseguição aos homossexuais pelo regime nazista, na Alemanha. Triângulo rosa era a forma como esses homens eram chamados nos campos de concentração, discriminados até mesmo pelos outros internos. A peça conta a história de sobreviventes que sofreram com a brutalidade e a intolerância, mas que poderiam encontrar, mesmo em condições tão terríveis, um lugar para a solidariedade e o amor. Espetáculo de grande força e contundência emocional, que abre espaço para a poesia e a esperança, é um grande sucesso de público desde sua estreia em 2014.

 

Ficha Técnica
Direção: Margarida Peixoto
Dramaturgia: adaptação das obras literárias Bent, de Martin Sherman; Triângulo rosa: um homossexual no campo de concentração nazista, de Jean-Luc Schwab e Rudolf Brazda; e Eu, Pierre Seel, deportado homossexual, de Pierre Seel
Elenco: Marcelo Ádams, Frederico Vasques, Gustavo Susin, Gisela Habeyche, Alex Limberger, Pedro Delgado e Edgar Rosa
Instrumentista: Elda Pires
Figurinos: Antônio Rabadan
Cenografia: Yara Balboni
Trilha Sonora: Marcelo Ádams (Letras) Sobre Músicas De Kurt Weill
Iluminação: Maurício Moura
Operação de iluminação: Wagner Duarte
Maquiagem: Margarida Peixoto
Produção: Cia Teatro Ao Quadrado
Fotografias: Adriano Arantos

 

O Mal Entendido

O Mal Entendido Crédito Jorge Scherer
Foto: Jorge Scherer

Onde: Sala Álvaro Moreyra

Datas: 23, 24 e 25 de janeiro; terça, quarta e quinta-feira, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 60 minutos

Classificação: 18 anos

 

Sinopse: A premiada montagem gaúcha, com texto de Albert Camus e com direção de Daniel Colin, apresenta atmosfera sombria e visualmente impactante, trazendo ao público a tensão da busca de sentido e a incomunicabilidade que permeia as relações, convergindo numa imprevisível desgraça sobre uma humanidade descuidada e de valores em plena decadência. Apesar de o texto ter sido escrito há mais de 70 anos, a narrativa continua atualíssima, trazendo questionamentos sobre os comportamentos e funcionamentos das pessoas, como o que as move e como elas reagem aos acontecimentos. O público é levado a uma espécie de catarse provocada pelas nuances de terror que dão o tom obscuro e envolvente da encenação.

 

Ficha Técnica
Direção: Daniel Colin
Dramaturgia: Albert Camus
Tradução: Aline Sokolovsky e Caio Amon
Elenco: Carla Cassapo, Elison Couto, Fernanda Petit, Gabriela Greco e Pedro Nambuco
Criação e operação de luz :Carlos Azevedo
Trilha sonora e operação de som: Beto Chedid
Figurinos: Antonio Rabadan
Cenário: Marco Fronckowiak e Rodrigo Souto Lopes
Cabelos/ Maquiagem: Elison Couto
Contraregragem: Dener Augusto/Julia Pilotti
Produção: Fernanda Petit

 

Reportório Osório

Reportó-rio-Osó-rio-Crédito-LuiÌ-s-Neves
Foto: Luís Neves

Onde: Sala Álvaro Moreyra

Datas: 26, 27 e 28 de janeiro; sexta, sábado e domingo, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 55 minutos

Classificação: 16 anos

 

Sinopse
Reportório Osório é um espetáculo humorístico músico-teatral que tem feito sucesso em Portugal. Apresenta uma coleção de canções, aliando a escrita e interpretação de Luís Fernandes à magistral música de Luís Cardoso, e ao talento da acordeonista Sónia Sobral. Em Reportório Osório, o quotidiano das relações afetivas é transformado em canções irónicas, em que a teatralidade do intérprete reforça o perfil cómico ou absurdo de cada personagem.

 

Ficha Técnica
Voz e Interpretação: Luís Fernandes
Acordeão: Sónia Sobral
Músicas: Luís Cardoso
Letras: Luís Miguel Fernandes
Foto: Luís Neves

 

Caio do Céu

Caio do Céu - Crédito Gledson Maffessoni 1
Foto: Gledson Maffessoni

Onde: Teatro Renascença

Datas: 26, 27 e 28 de janeiro; sexta, sábado e domingo, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 60 minutos

Classificação: 12 anos

 

Sinopse: Impossível ler Caio Fernando Abreu (1948/1996) sem enxergá-lo, sem senti-lo, ele é visceral, sincero, confessional, um biógrafo do emocional, um fotógrafo da fragmentação contemporânea, um tradutor do seu tempo. Escreveu principalmente sobre o tema que mais lhe despertava a imaginação: a condição humana. Com profundidade e leveza, Caio do Céu transpõe seu universo para o palco através de crônicas, cartas, contos, poemas, textos teatrais, depoimentos, música ao vivo e projeções. Traz para a cena o próprio Caio por meio de vídeos com trechos de suas entrevistas. Caio do Céu expõe e questiona os valores da sociedade e, principalmente, as questões da alma humana. É um grito de alerta, uma louvação à vida.

 

Ficha Técnica
Textos: Caio Fernando Abreu
Concepção: Deborah Finocchiaro e Luís Artur Nunes
Roteiro: Deborah Finocchiaro
Direção: Luís Artur Nunes
Assistência de Direção: Áurea Baptista e Jéssica Lusia
Atuação e Violão: Deborah Finocchiaro
Atuação, teclados e percussão: Gustavo Petry
Pesquisa de Imagens e Direção de Vídeos: Bruno Polidoro e Daniel Dode
Participação em Vídeo: Marcelo Ádams
Figurino: Antonio Rabadan
Iluminação: Leandro Roos Pires
Projeto Gráfico: Rafael Sarmento e Sandro Ká
Produção: Cristiane Cubas e Deborah Finocchiaro
Coordenação de Produção e Direção Geral: Deborah Finocchiaro
Realização: Companhia de Solos & Bem Acompanhados

 

Divaldo Franco – O Semeador de Estrelas 

Divaldo Franco - O Semeador de Estrelas Crédito Cláudio Etges
Foto: Cláudio Etges

Onde: Teatro Renascença

Datas: 30 e 31 de janeiro, terça e quarta-feira, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 80 minutos

Classificação: 12 anos

 

Sinopse
Espetáculo que retrata através de ‘causos engraçados’ e músicas a vida do médium espírita e humanista Divaldo Pereira Franco. A história de sua vida é interessantíssima, cheia de casos engraçados e emocionantes, surgidos de sua mediunidade que despertou a partir dos 4 anos de idade. Esta peça é o retrato de um homem que precisa ser reconhecido pela sua própria gente.
Autor de mais de 250 livros, traduzidos para 16 idiomas, na sua casa de caridade em Salvador, cuida de mais de três mil crianças, e tem uma obra social modelo para o resto do país (A Mansão do Caminho).

 

Ficha Técnica
Direção: Renato Prieto
Ass. Direção: Luis Carlos Pretto
Elenco: Clélia Goulart, Juliana Pretto, Luis Carlos Pretto e Ney Cardoso
Stand in: Aline Cornely e Lesi Morato]
Texto: Cyrano Rosalém
Músicas: Cayê Milfont
Figurinos: Anete Cota
Plano de luz: Manoel Boti
Operação de Luz: Vilmar e Adson Silva
Operação de Som: Agnes Dimare

 

Latidos

Latidos-4-Crédito-Diogo-Vaz-2
Foto: Diogo Vaz

Onde: Sala Álvaro Moreyra

Datas: 30 e 31 de janeiro, terça e quarta-feira, às 21h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 60 minutos

Classificação: 16 anos

 

Sinopse
Virgínia é uma mulher de negócios. Valentina a filha. Mãe e filha tomam um café da manhã poucos dias depois do enterro do pai. Temos uma narrativa sintética e consistente onde se sobressai o dramático mais essencial. A pergunta de Valentina querendo saber de Buck, seu cão de estimação que se encontra sumido, temos um confronto de universos que desencadeia uma conversa radical em busca da verdade. Confrontadas pela perda são obrigadas a acertas as contas entre si, uma peça emocionante na qual a verdade sobre a relação mãe e filha se amplia e se revela.

Ficha Técnica:
Elenco: Nora Prado e Catharina Conte
Texto e Direção: Júlio Conte
Fotos: Diogo Vaz

 

Tem Gato na Tuba

Tem-gato-na-tuba-1-Crédito-Pierre-Refalo
Foto: Pierre Refalo

Onde: Teatro Renascença

Data: 31 de janeiro, quarta-feira, às 16h

Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)

Duração: 50 minutos

Classificação: Livre

 

Sinopse: Um cortejo carnavalesco abre o espetáculo em clima de festa. É um ambiente antigo de carnaval dos anos 50/60, com certa ingenuidade no ar. A música faz as personagens lembrarem as canções e histórias do compositor João de Barro, o Braguinha.

A trupe resolve, então, contar as histórias que antigamente fizeram sucesso na colorida coleção Disquinho. Interpretam, cantam e narram três histórias muito divertidas: História da Baratinha, A Festa no Céu e Chapeuzinho Vermelho.

Cada história acentua uma linguagem para ganhar vida no palco, passando por teatro de máscaras, mímica, teatro de animação e manipulação de objetos. Tudo entrecortado por marchinhas carnavalescas e famosas canções de Braguinha.

 

Ficha Técnica
Direção: Hugo Possolo
Textos: Braguinha
Direção Musical: Léo Nascimento
Atores: Nora Prado e Gabriel Guimard
Músico: Gabriel Maciel e Léo Ferlauto
Criação do cenário, figurino: Hugo Possolo
Plano de Luz: Reinaldo Thomas e Hugo Possolo
Criação das máscaras: José Toro Moreno
Produção executiva: Cia. Megamini
Assistente de Produção: Camila Bellodi
Confecção dos adereços: Nora Prado
Projeto Gráfico e webmaste: Denis Garcez
Fotos: Pierre Refalo

 

Espaço Usina das Artes

Lua de Mel em Buenos Aires A Mulher Crucificada O Beijo da Besta

CAMB-466p
Foto: Cláudio Etges

 

Onde: Espaço Usina das Artes ( Rua Santa Terezinha, 711)

Datas: 6, 13, 20 e 27 de janeiro, sábados, ás 19h

Entrada: R$ 30

Classificação: 18 anos

Duração: 2h

 

Sinopse: O espetáculo da Cambada de Teatro em Ação Direta Levanta FavelA… trata de uma tragédia brasileira moderna sobre a exploração sexual. A prostituta Clarissa vive uma fantasia com o escritor Maurílio encenando uma lua de mel, porém acaba sofrendo abusos com sua mãe, chamada Aurora, começando uma dramática história de violência às prostitutas e profissionais da limpeza, o que termina por libertar as mulheres no momento em que Clarissa é escolhida para converter uma travesti em ministro da morte em uma seita secreta.

Ficha técnica:

Direção coletiva

Elenco:Danielle Rosa, Sandro Marques, Ketelin Abbady e Bruno Geraldi

Iluminação: Allan Castro

Sonoplastia: Rodrigo Herbe – sonoplastia

Contrarregragem: Pâmela Bratz, Douglas Ferreira e Dandara Corrêa

Dança

 

New School Dreams

26168201_961857560633173_8676764258910355484_n

 

Onde: Teatro Renascença

Data: 10 de janeiro, quarta-feira, às 18h30 e às 21h

Classificação: Livre

Entrada: R$ 40,00 e R$ 20,00 antecipado

Mostra coreográfica da escola, apresentando os trabalhos estreados ao longo desse ano, sendo alguns deles premiados em festivais dentro e fora do estado.

Mostra de Dança  Verão

imagem166010
Foto: Aline More

Onde: Teatro Renascença

Datas: 11, 12 e 13, às 20h e 14 às 18h

Entrada: R$ 20

Classificação: Livre

Para esta edição, foram inscritas 180 coreografias e selecionados 89 trabalhos. Criações de balé, danças urbanas, tango, dança contemporânea, jazz, dança do ventre, sapateado americano, danças ciganas e folclóricas compõem a programação de cada noite. A abertura fica por conta da Cia Municipal de Dança de Porto Alegre, com seu novo elenco selecionado em dezembro de 2017, apresentando a coreografia de Footloose e também os jovens talentos da Cia. Jovem de Dança de Porto Alegre, com as coreografias Maracatus e Chorus.

Dentre os selecionados estão tradicionais grupos e escolas como Cia H, Ângela Ferreira Estúdio de Dança, Laboratório da Dança, Restinga Crew, Cia de Dança Edison Garcia, Gafieira Club, Escola Aline Rosa, Grupo Laços, Espaço de Danças Karine Neves, Ballet Concerto, Escola de Dança Karin Ruschel e Circo Híbrido. Também profissionais premiados em festivais e no Prêmio Açorianos de Dança, como Grupo Reticências, Alexandre Rittmann e Marilice Bastos. A Mostra abre espaço para projetos como o Grupo Experimental de Dança 2017, Diversos Corpos Dançantes da Ufrgs, alunos do Curso de Dança da Uergs e a Escola Preparatória de Dança da Escola Alberto Pasqualini, que encerra a programação.“O programa de Mostras do Centro de Dança busca dar visibilidade para a produção da cidade e integrar profissionais de várias linguagens juntos no mesmo palco. Depois de mais de duas décadas de sucesso, a Mostra de Verão tem sido um iniciativa fundamental para promover a dança na Capital e abrir o calendário cultural da cidade”, destaca o coordenador do Centro Municipal de Dança da SMC, Airton Tomazzoni.

Programação completa: aqui

Curso: Um Plano de Imanência para Pesquisas “com” Corpo

Professores: Wagner Ferraz e Fernanda Boff

Onde: Auditório do Atelier Livre

Datas: 16, 17 e 18 de janeiro, das 9h às 12h

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s