Prata-Paraíso


  Local: no Cérebro, sala 504 da Usina do Gasômetro.
  Dias:
28, 29 e 30 de abril e 5, 6, 7, 12, 13 e 14 de maio, sextas a domingos, às 19h.
  Duração:
 120 minutos.
◈  Indicação:
 18 anos.
  Entrada:
R$ 30 inteira, a lotação máxima por apresentação é de 20 espectadores.

prata paraíso foto morgana mazzon p2

Foto Morgana Mazzon

A Cia Espaço em BRANCO + CÉREBRO apresentam a performance teatral PRATA ­‐PARAÍSO, desenvolvida pelo encenador João de Ricardo através de PHC (Processos Híbridos de Criação) dando continuidade ao projeto de residência artística Usina das Artes, promovido pela Prefeitura de Porto Alegre e Usina do Gasômetro.

Inspirada na obra Pterodátilos do dramaturgo estadunidense Nicky Silver, elegemos o personagem TOD (que significa morte em alemão) como plataforma de criação desta obra. Um jovem artista gay, portador do vírus HIV, que de compõe a realidade luxuosa de sua família e a si mesmo, em uma obra grotesca dedicada à transitoriedade de tudo.

A performance teatral é composta de três estudos tendo a morte (a doença– contaminação, o matar e o morrer) enquanto tema e ponto de articulação entre o texto teatral e a nuvem de referencias que geramos durante o processo: as mitologias dos deuses obscuros e suas polaridades complementares saúde-­doença morte-fertilidade feridas e pérolas do mar: Obaluae, Hades e Shiva. A vanguarda GAY dos anos 80 fustigada pelo HIV – Cazuza, Leonilson, Klaus Nomi, Robert Maplethorpe, o humor gay, político e trash de John Waters, a música fúnebre e a iconografia do corpo martirizado cristão.

Prata-Paraíso é um réquiem coxo. Uma escatologia no sentido mítico. Uma fábula GAY ♥ sobre o fim do homem e da civilização. No espaço infinito e escuro do outro lado, uma nuvem prateada brilha suspensa. Cada floco de purpurina é um crânio vazio, cabeça de alguém que já se foi. Ao olharmos as órbitas oculares eletrizadas temos acesso ao CÉREBRO, território holográfico onde tempo e espaço se dissolvem e coagulam. Mistérios acionados por um artista sem face: TOD.

Encenação, direção de arte e processo deaprendizagem (PHC): JdR – João de Ricardo.
Com: Andrew Tassinari, Douglas Jung e Eduardo d’Avila.
Fotos: Louise Carpanedo e – Morgana Mazzon.

Produção: CÉREBRO.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s