Indeterminada: Mostra de Repertório


 

As peças que compõe a mostra, Carícias, Jacques ou toda a tradição está comigo e a infantil Expedição Monstro, nasceram dentro de Departamento de Arte Dramática da UFRGS. Para além da universidade, os atores, diretores e técnicos resolveram se unir para formar a jovem companhia, que integra teatro, dança, música e artes visuais.

A INDETERMINADA se propõe a investigar o corpo e suas possibilidades, sem a pretensão de estabelecer uma linguagem específica para os trabalhos do grupo. Pelo contrário, está calcada na experimentação teatral e aberta aos caminhos que as diferentes experiências podem levar.

O nome INDETERMINADA foi escolhido exatamente por conta dessa característica. São mais de 30 artistas reunidos, entre núcleo artístico e colaboradores, formando um grupo heterogêneo, mas que se relaciona pela vontade de investir na diversidade de práticas, conceitos, gêneros e estilos.

Ingressos antecipados: Loja Sirius (R. da República, 304, Cidade Baixa – 51 3225.1694). Agendamento para grandes grupos e escolas: (51) 999 705 716 ou contatoindeterminada@gmail.comContato para entrevistas: Ander Belotto (51 999 705 716).

Direção Geral: ANDER BELOTTO.
Produção: INDETERMINADA artes das cena.
Produção executiva: ANA CAROLINA DE DAVID/ BRUNA CASALI/ DANUTA ZAGHETTO/ LAURO FAGUNDES/ MAURÍCIO SCHNEIDER/ VITÓRIA TITTON.
Assessoria de Imprensa: LOUISE PIEROSAN.

Expedição Monstro

  Local: Sala Álvaro Moreyra.
  Dias:
 de 7 a 22 de junho, quartas e quintas, às 15h.

  Duração: 50 minutos.
  Indicação: livre.
  Entrada: R$ 30 inteira.

Expedição Monstro. Cassiano Brezolla

Foto Cassiano Brezolla

Quatro crianças se juntam para uma emocionante expedição na floresta. Apesar de grandes amigos, eles não são nada parecidos e, nesta aventura, se deparam com um mundo novo, cheio de magia, diversão e criaturas estranhas. Neste lugar, eles enfrentarão seus monstros e medos, reais e imaginários, e encontrão um novo sentido para a palavra amigo.

Direção: Matheus Melchionna.
Elenco: Ana Caroline de David, Ander Belotto, Danuta Zaghetto, Lauro Fagundes, Luísa Horta, Maurício Schneider e Silvana Rodrigues.
Assistência de Direção: Vitória Titton.
Colaborações Artísticas: Patrícia Fagundes e Daniela Aquino e Gisela Habeyche.
Orientação Vocal: Gisela Habeyche.
Figurinos: Camila Falcão e Mari Falcão.
Trilha Sonora Original: Carina Levitan.
Iluminação: Thais Andrade.
Produção Musical: Guilherme Ceron.
Objetos Cênicos: O Grupo.
Maquiagem: Camila Falcão.
Produção: Vitória Titton, Lauro Fagundes, Maurício Schneider e Ana Caroline de David.
Arte Gráfica: Roberta Pietsch.

Jacques ou Toda a Tradição Está Comigo

  Local: Sala Álvaro Moreyra.
  Dias:
 7 e 8 de junho, quarta e quinta, às 20h.

  Duração: 45 minutos.
  Indicação: 16 anos.
  Entrada: R$ 30 inteira.

Jacques. Adriana Marchiori

Foto Adriana Marchiori

Uma família cômica, nonsense e extremamente conservadora é colocada em cena. O espetáculo mostra personagens que se sentem obrigadas a cumprir os papéis sociais pré-estabelecidos dentro dessa família. A peça utiliza-se de elementos cômicos, misturados a uma essência perturbadora, ácida e altamente crítica. A sensação de “não faz sentido” se dá quando são trazidos à tona os absurdos do cotidiano, ampliados e exagerados.

Direção: Ander Belotto.
 Elenco: Aloísio Dias, Carlos Rasch, Laura Pinós, Maurício Schneider, Priscila Jardim, Vitória Titton.
– Cenário e figurino: O grupo.
Texto adaptado do original: O grupo com a colaboração de Silvana Rodrigues.
Iluminação: Ander Belotto.
Operação de Luz: Danuta Zaghetto.
Trilha Sonora original: Kevin Brezolin.
Operação de Áudio: Lauro Fagundes.
Produção: Vitória Titton e Maurício Schneider.
Máscaras: Fábio Cuelli.
Arte Gráfica: André Varela.

Carícias

  Local: Sala Álvaro Moreyra.
  Dias:
 de 14 a 22 de junho, quartas e quintas, às 20h.

  Duração: 60 minutos.
  Indicação: 16 anos.
  Entrada: R$ 30 inteira.

Carícias. Adriana Marchiori

Foto

 

 

 

 

 

 

 

 

As personagens desta peça estão bem próximas de quem somos: se sentem sós em meio à multidão e se revelam no tipo de relação que estabelecem com o outro, mostrando suas pequenas crueldades cotidianas, que só aparecem na intimidade. Como possibilidade de transformação, a peça leva para a cena sambas interpretados e tocados pelos atores, “o samba é o pai do prazer / o samba é o filho da dor / o grande poder transformador”.

 

Direção: Ander Belotto.
Autor: Sergi Belbel.
Elenco: Bruna Casali, Carlos Rasch, Danuta Zaghetto, Di Nardi, Diogo Verardi, Juçara Gaspar, Juliano Rabello, Lauro Fagundes, Luiz Manoel, Silvana Rodrigues e Suzana Witt.
Música ao vivo: João Pedro Cé.
Preparadora vocal: Suzana Witt.
Iluminação: Thais Andrade.
Direção de produção: Ander Belotto.
Produção executiva: Ander Belotto, Danuta Zaghetto, Suzana Witt, Vitória Titton.
Arte gráfica: André Varela.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s