Trilogia Sensível


Olhar de frente

 Onde: Sala Álvaro Moreyra.
 Dia: 31 de agosto, às 20h.

 Duração: 55 minutos.
 Indicação: 14 anos.
 Entrada: R$ 40 inteira.

Olhar de Frente traz à cena a questão do abuso sexual na infância e o embate entre a vida e a morte. Na peça, o sentido de afirmação da vida é enfatizado a partir da presença constante da morte. O cruzamento entre este tema e o universo feminino é costurado por fatos da vida da atriz que se mesclam com ficções e que, em cena, se desenvolvem sob o olhar do espectador, criando aí uma fricção entre os âmbitos do real e do ilusório, de forma que o espectador, ao presenciar a encenação, permanece em dúvida do início ao fim, quanto à questão da verdade sobre os temas biográficos ali compartilhados.

Portas do invisível

 Onde: Sala Álvaro Moreyra..
 Dias: 1 a 10 de setembro, sexta a domingo, às 20.

 Duração: 55 minutos.
 Indicação: 14 anos.
 Entrada: R$ 40 inteira.

Em Portas do Invisível, aparecem em cena cinco personagens clássicas: Medeia, Antígona, Maria Madalena, Joana D’arc e Lady Macbeth. A questão da memória é o cerne do espetáculo, que faz referência ao processo criativo de cada ator/atriz pelo âmbito do trabalho corporal. O relevante tema da bulimia é abordado durante o espetáculo, de modo autobiográfico. A encenação traz as multiplicidades do indivíduo e do tempo atual. No processo de criação deste trabalho autoral, as cinco personas mitológicas não reduzem a composição a uma visão estereotípica do feminino, mas coloca uma lente sobre a questão do gênero, proporcionando um diálogo hibridizado entre os elementos do espetáculo.

Hallucination: vida e obra de Virgínia Woolf

 Onde: Sala Álvaro Moreyra..
 Dia: 7 de setembro.

 Duração: 55 minutos.
 Indicação: 14 anos.
 Entrada: R$ 40 inteira.

Hallucination: Vida e Obra de Virginia Woolf é uma homenagem ao universo da autora inglesa sobre a qual foi criado o espetáculo. A escolha de Virginia Woolf (1882-1941) como fonte de referência provém da relevância da escritora, ensaísta e editora britânica, conhecida como uma das mais proeminentes figuras do modernismo. Woolf era membro do Grupo de Bloomsbury e desempenhava um papel de significância dentro da sociedade literária londrina durante o período entre guerras. Seus trabalhos mais famosos incluem os romances Mrs Dalloway (1925), Passeio ao Farol (1927) e Orlando (1928), bem como o livro-ensaio Um Quarto Só Para Si (1929), onde se encontra a famosa citação “Uma mulher deve ter dinheiro e um quarto próprio se ela quiser escrever ficção”. A poética do espetáculo foi desenvolvida sobre a sensação da companhia, de que novas facetas do gênero feminino precisam ser investigadas. Um exemplo fundamental é exatamente o caso de Virginia Woolf, mulher que não se contentou em ser objetificada pelo contexto em que viveu.

Direção: Desirée Pessoa.
Elenco: Caroline Vetori, Desirée Pessoa e Gabriela Chaves.
Figurino: Rô Cortinhas.
Iluminação: Carol Zimmer.
Trilha Sonora: Johann Alex de Souza (Portas do Invisível), Guilherme Sanches (Hallucination: Vida e Obra de Virginia Woolf) e Luiz André da Silva (Olhar de Frente).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s