Programação de outubro


Sala Álvaro Moreyra

Aos Sãos

  Dias: 5, 12, 19 e 26 de outubro, às 20h.
  Duração:  60 minutos.
  Indicação:  a partir de 12 anos.

  Entrada: franca.

Aos Sãos - Foto Luiz Paulot2.jpg
Foto Luiz Paulot

“Aos Sãos” é inspirado no livro “O holocausto brasileiro”, de Daniela Arbex, e conta a história do manicômio Colônia em Barbacena/MG, que abrigou durante décadas milhares de pacientes de modo desumano. Desempregados, bêbados, mendigos, esposas insatisfeitas e outros perturbadores da ordem eram condenados ao exílio e ao esquecimento. Como não enlouquecer perante tanta injustiça? Como sobreviver vivendo o abandono e o não pertencimento social?

  Direção: Thais Andrade.
  Atuação: Bruna Casali, Juliana Wolkmer, Luiz Manoel, Rafael Bricoli, Raíza Auler Rolim.
  Trilha Sonora: Maithan Timm Knabach.
  Iluminador: Luiz Acosta.
  Figurino e Cenografia: Sandra Amorim.
  Orientação: Ana Paula Zanandréa.
  Fotos: Jéssica Barbosa e Luiz Paulot.

Página no Facebook.

Serão disponibilizadas 45 senhas ao público espontâneo 1h antes do início do espetáculo, o restante dos ingressos serão destinados a escolas e instituições com prévio agendamento.

_________________________________

Ramonster – Malabareador de Ideias

  Dias: 4, 11, 18 e 25 de outubro, às 10h e 15h.
  Duração:  40 minutos.
  Indicação:  livre.

  Entrada: franca.

Ramonster - Foto Joseane Bertoncello.jpg
Foto:Joseane Bertoncello

Dotado de um estilo original, o espetáculo resgata a tradição dos elementos circenses, como a palhaçaria, o malabarismo e o ilusionismo, unindo à uma forma contemporânea de fazer comédia, com humor improvisado e cara limpa. Ao mesmo tempo possui um texto muito fácil de ser ouvido por todas as idades, que pretende levar o público a refletir sobre os princípios de fazer o bem, a ética, e o valor da ludicidade nas relações humanas.

➤  Criação/Direção/Interpretação: Ramon Ortiz.
  Iluminação: Fernanda Bertoncello Boff.
  Sonoplastia/Maquiagem/Figurino: Caroline Mendes.

Página no Facebook.

_________________________________

O Feio

  Dias: 30 de setembro a 9 de outubro, de sexta a domingo, às 20h.
  Duração:  80 minutos.
  Indicação:  14 anos.

  Entrada: inteira R$ 30 e meia RS 15.

O FEIO - Foto RAMON BRANT2.jpg

Foto: Ramon Brant

Eu continuo sendo eu se me vejo como outro? “O Feio” é uma ousada comédia do dramaturgo alemão Marius Von Mayenburg. A obra se propõe a refletir sobre o culto à beleza e a autenticidade na sociedade de consumo. Privado do sucesso profissional por ser feio, Lette encontra na cirurgia plástica a solução para ascender socialmente. Uma sequência de fatos, porém, o deixa perdido em indagações acerca de sua própria identidade.

➤  Direção: Mirah Laline.
➤  Elenco: Danuta Zaghetto, Marcelo Mertins, Paulo Roberto Farias e Rossendo Rodrigues.
➤  Figurinos: Marina Kerber.

➤  Iluminação: Lucca Simas e Luciana Tondo.
➤  Operação de luz: Luciana Tondo.
➤  Cenografia: O grupo.
➤  Vídeos: João de Queiróz e Maurício Casiraghi.

➤  Operação de vídeos: Maurício Casiraghi.
➤  Trilha sonora pesquisada: Mirah Laline.
➤  Operação de som: Manu Goulart.
➤  Classificação etária: 16 anos Duração: 1h15min.

Página no Facebook.

_________________________________

Enfim Sós – Uma Tragicomédia Clownesca

  Dias: 14 a 30 de outubro, de sexta a domingo, às 20h.
  Duração:  80 minutos.
  Indicação:  14 anos.

  Entrada: inteira R$ 20 e meia RS 10.

Enfim sos - Foto Claudio Etges (1).jpg

Foto: Claudio Etges

A dramaturgia foi construída a partir do jogo dos palhaços, do improviso sobre cenas e saídas em dois asilos de Porto Alegre. O jogo e improviso são abertamente colocados como duas ferramentas condutoras da ação, dando liberdade para a interação com o espectador. Durante o espetáculo o público interfere diretamente na peça, propondo histórias que serão improvisadas pelos palhaços, tornando-se assim um agente ativo na criação da dramaturgia.

Os atores em um jogo aberto e direto perguntam a si mesmos e ao público o que é o amor e a solidão. E através dos palhaços, misturam gêneros, ficção e realidade, trazendo a tona a comicidade, a poesia e o lúdico.

Dois atores em cena. Dois palhaços em cena. Fábio e Melissa. Julieto e Roliça. Duplos que compartilham situações inusitadas e engraçadas sobre o amor e a solidão. As questões que os motivaram a montar o espetáculo e a história a ser contada, se misturam. Os palhaços insistem em se desencontrar até que o inevitável acontece. Após o encontro, os percalços da vida a dois trazem novas situações sobre o amor e a solidão envolvendo historias do público e da própria biografia dos atores-palhaços que conduzem o jogo ao tragicômico.

➤  Direção: Luciane Olendzki.
➤  Atuação: Fábio Castilhos e Melissa Dornelles.
➤  Dramaturgia: Fábio Castilhos, Giovanna Zottis, Luciane Olendzki e Melissa Dornelles.
➤  Assistência de Direção: Giovanna Zottis Cenografia.
➤  Figurinos e Adereços: Margarida Rache e Patrícia Preiss.
➤  Trilha Sonora: Sergio Baiano.
➤  Criação de Luz: Bathista Freire.

Página no Facebook.
Evento no Facebook.

_________________________________

É Proibido Miar

  Dias: 15 a 23 de outubro, sábados e domingos, às 16h.
  Duração:  50 minutos.
  Indicação: 3 a 11 anos.

  Entrada: inteira R$ 40 e meia RS 20.

É Proibido Miar - Fotografia de Luciane Pires2.jpg
Foto: Luciane Pires

É Proibido Miar é baseado no livro homônimo de Pedro Bandeira, que conta a história de Bingo, um cãozinho que não via problema nenhum em miar como um gato, só que mais ninguém pensava como ele e então muitas coisas acontecem…

A Juliana Kersting, atriz e produtora do espetáculo leu o livro quando era pequenininha e mexeu tanto com ela que, junto com o Denis Gosch, resolveram adaptar a história para um espetáculo teatral. Este espetáculo estreou em 2015 pela M.A.Cia. – teatro, dança e assemelhados de Porto Alegre/RS.

É Proibido Miar é um projeto diferente desde a sua concepção, os atores utilizam o potencial criativo da Audiodescrição e da LIBRAS, enquanto narrativa e gesto. A peça contribui com a divulgação da importância da acessibilidade, inclusão e respeito às diferenças, assim como também busca aumentar a abrangência da plateia, primando pela formação de novos públicos, incentivando a apreciação das artes.

TEATRO, ACESSIBILIDADE E INCLUSÃO

Minutos antes de iniciar o espetáculo, os atores convidam o público a participar de um “tour tátil” pelo espaço onde a apresentação será realizada, espaço cênico e figurinos. Assim, as pessoas cegas ou com baixa visão recebem mais estímulos sobre a peça. Já o público vidente pode conhecer um pouco mais sobre a peça interagindo com o espaço cênico.

➤  Direção: Denis Gosch.
➤  Atuação: Dani Dutra, Douglas Dias, Joana Amaral e Juliana Kersting.
➤  Audiodescritora: Mimi Aragón.
➤  Psicopedagoga especializada em educação para surdos: Joana Amaral.
➤  Iluminação: Casemiro Azevedo.
➤  Produção: Débora Maier e Juliana Kersting.
➤  Divulgação: Bruna Paulin.
➤  Realização: M.A.Cia – teatro, dança e assemelhados.

Página no Facebook.

_________________________________

Teatro Renascença

O Método Arbeuq

  Dias: 27 de outubro a 6 de novembro, de quinta a domingo, às 20h.
  Duração:  80 minutos.
  Indicação:  16 anos.

  Entrada: Inteira R$ 40 e meia R$ 20.

o-metodo-foto-marcio-garcia2
Foto: Márcio Garcia

Em uma sala de treinamento de uma grande corporação empresarial, encontram-se cinco candidatos que disputam uma vaga para alto executivo. Entram na sala se apresentam, sem a presença de um mediador. Neste momento revelam-se suas características e personalidades, estabelecendo vínculos de afinidade e as primeiras alianças tácitas. Ficam sabendo que se trata de um método de avaliação novo em que os candidatos são os próprios avaliadores.

Iniciam as eliminações dos candidatos.  Um a um vão sendo eliminados, através de alianças e estratégias calculadas para permanecerem no jogo até ficarem, coincidentemente, apenas os dois competidores que já se conheciam antes deste processo. Deste encontro fortuito reaproximam-se e voltam a ter esperanças em uma futura relação, ao mesmo tempo em que esta relação pode ser um impedimento ao sucesso na conquista da vaga. Desta situação surge o grande desfecho da obra em que ambos são confrontados com suas convicções éticas.

 ➤  Texto e direção: Patsy Cecato.
➤  Assistência de Direção: Fernanda Moreno.
➤  Elenco: Rosa, Flor, Carlos Paixão, Condessa Jane Marie, João Carlos Castanha, Deise, Áquila Mattos, Helena, Luiz Manoel Oliveira Alves, Maira, Everton Barreto, Beatriz, Andryos Montanari.
➤  Participação especial: Caio Prates como Helga.
➤  Criação de Luz: Bruna Immich.
➤  Figurinos: Kika Freitas.
➤  Cenário e adereços: Valéria Verba.
➤  Fotos: Gustavo Razzera.
➤  Visagismo: Nikki Goulart.
➤  Coreografias: Nilton Gaffree Jr.
➤  Direção Musical: Juliano Barreto.
➤  Operação de luz: Bruna Immich.
➤  Operação de som: Ismael Goulart.
➤  Direção de produção: Patsy Cecato.
➤  Produção Executiva e Assessoria de Imprensa: Gustavo Saul.
➤  Realização: Complexo Criativo Cômica Cultural.

Página no Facebook.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s